domingo, 3 de abril de 2016

As Faces da Deusa


A Deusa, quem é Ela?


A idéia de uma Deusa costuma nos parecer estranha. Afinal, estamos acostumados a ver a Divindade como "Ele". Mas na Bruxaria Tradicional as coisas não são bem assim.

A Divindade é vista tanto como feminina como masculina, sendo que o aspecto feminino (a Deusa) é o aspecto primordial, que cria o aspecto masculino (o Deus Cornífero).

Inconcebível a ideia de trabalharmos com estas duas forças separadas, afinal cada uma delas tem suas particularidades, o yin yang.

Mas nossa ideia central aqui é falarmos sobre Ela, a deusa, que a todos concebeu e para onde todos iremos voltar.

Vemos a Deusa como sendo o aspecto primordial da divindade, pois é Ela a Criadora de Tudo, assim como uma mãe dá a luz aos seus filhos.

Os filhos da Deusa somos todos nós e tudo o mais que existe no Cosmos.

Até mesmo o próprio Deus Cornífero, Sua contraparte.

Do ventre da Deusa tudo nasceu e para ele todos retornarão para renascer, é o que se diz na Bruxaria Tradicional.

O ventre da Deusa é também simbolizado pelo caldeirão, um símbolo celta importante, entre outras coisas, ligado à transformação e a reencarnação.

A Deusa não apenas criou tudo o que existe, mas também É tudo o que existe.

Ela não é apenas transcendente, mas imanente. O Universo é Seu corpo, Sua mente, Sua alma e Seu Espírito.

Vemos a Deusa em todos os lugares e em lugar nenhum, dentro e fora de nós mesmos.

Reside dentre de nós próprios uma centelha Dela (e também do Deus), o que nos faz divinos.

A Deusa costuma ser representada pela Lua.

Este satélite da Terra costuma, desde tempos antigos, em diversas culturas, ser visto como feminino, regendo as emoções, os sentimentos, o inconsciente, as sombras, a intuição e tudo aquilo que não pode ser analisado e classificado friamente.



Toda mulher sabe muito bem o significado da Lua, pois seu organismo atua de acordo com ela, assim como as marés.

As mulheres podem sentir sua força, sua influência tanto no seu físico quanto no emocional.

A lua muda de fase a cada sete dias. Isso mostra o caráter mutável da Deusa.

Ela não é estática, ela sempre apresenta uma face nova, de tempos em tempos.

Na lua crescente Ela é a Donzela, também chama de Virgem. Na lua cheia Ela é a Mãe, Criadora de Tudo. Na lua minguante é a Anciã, ou a Velha Sábia.

Como Donzela, Ela possui o seu aspecto virginal, significando não o fato de nunca ter se relacionado sexualmente com um homem, mas, sim, o fato de ser solteira, independente e livre, não se submetendo ao jugo de homem algum.

A cada dia da lua crescente, a força da Donzela floresce, como cresce sempre a força da juventude.

Ela é vista muitas vezes como sendo delicada, gentil, uma criança brincando, mostrando assim sua inocência.

Mas é também vista como uma Caçadora (Ártemis/Diana, por exemplo).

Dessa forma, pode ser agressiva, pois desafia a tudo e a todos para garantir a sua liberdade.

A Donzela vê o Infinito à sua frente e não deseja que ele seja restringido.

Na primeira noite de lua cheia, a Deusa passa de Donzela para Mãe.

É o Seu momento de maior poder, em que Ela é a Criadora de Tudo.

Este aspecto luminoso representa o parto. Muitas vezes, a Mãe é vista como uma mulher grávida, ou uma mãe zelosa (Deméter/Ceres).

A Mãe dá Amor a todos os seus filhos, o que inclui não apenas os seres humanos, como também toda a Natureza.



A Mãe também dá a luz ao Deus Cornífero, Seu filho, a Criança Prometida, que mais tarde se apaixonará por Ela, quando esta for novamente a Donzela, e Ele se converterá em Seu Consorte.

A Mãe representa a abundância e, por isso, é a Rainha da Colheita.

A Deusa é a própria Natureza, da qual fazem parte todos os seres que aqui habitam, de todos os reinos, sejam eles animais, vegetais ou minerais.

Como tudo o que chega ao seu ápice começa a declinar, depois da lua cheia vem a lua minguante, em que a Deusa se torna a Anciã.

Neste momento, a Deusa não é mais capaz de engravidar. Ela retém o seu sangue menstrual, o que lhe conserva poder.

Se por um lado a Deusa perdeu o viço da juventude, por outro ganhou experiência, sabedoria e conhecimento.

Ela é vista como a Conselheira.

Já passou pela etapa de concepção, sabe o que significa gerar a vida, o que lhe torna sábia.

A Anciã está relacionada à morte.

Ela é a Ceifeira, aquela que restringe aquele Infinito que a Donzela preza tanto.

Afinal, tudo o que nasce morre para que possa ser transformado.

Porém, a Anciã também é vista como a Curandeira, que entende das ervas que curam os males de um doente, sejam eles de qualquer espécie.

Além disso, a Anciã é uma Parteira, o que mostra que a Morte está relacionada à Vida e vice-versa.

O Caldeirão da Transformação é propriedade da Anciã (como mostrado na deusa celta Ceridwen).

As faces da Deusa mostram como ela é mutável.

Ela muda como também muda a Natureza e nós mudamos. Por esse caráter, um dos símbolos da Deusa é a Serpente, pois ela troca de pele quando esta já cumpriu o seu papel, renovando-se.

Pois para a Deusa a Eternidade é a Mudança. "Tudo flui". "No mesmo rio entramos e não entramos, somos e não somos". (Heráclito, filósofo pré-socrático).

A Deusa não pode ser definida com poucas palavras.

Ela possui suas três faces e é representada por infinitas divindades femininas em todo o mundo. Cada divindade, um aspecto Dela, como espectro de uma luz que passa por um cristal e se divide em milhares de cores.

Ela é a chamada Deusa dos Dez Mil Nomes.

Como já foi dito, Ela é a Deusa da Terra; Ela é a própria Natureza; é Gaia. Sua pulsação é sentida nos bosques, nas matas, nas florestas.

Seus humores são sentidos nas marés dos oceanos. Sua solidez está nas montanhas, no solo firme.



Nos lagos, a sua placidez.

Nos rios correm seu sangue. No centro do planeta, bate seu coração ardente.

Sua calma respiração é percebida na doce brisa que nos refresca.

Sua fúria inconcebível é sentida no poder dos furacões.

Ela é Deusa de tudo o que vive e tudo o que existe está vivo, tudo emana as energias Dela.

Mas a Deusa não está só no planeta em que vivemos.

Ela é também a Deusa Estelar e por isso seu símbolo é a Lua.

Está nos mistérios do Universo, nas estrelas, em distantes planetas, nos intrigantes buracos negros.

A Deusa está além do Universo, naquilo que não podemos compreender, do qual não conseguimos falar.

Ela é imanente, sentida na Natureza e dentro de nós mesmos.

E ela é transcendente, estendendo-se até o Infinito, Sua Criação.

À Deusa pertence a Sabedoria.

Pela mitologia comparada podemos perceber que normalmente as deidades relacionadas à Sabedoria são femininas, tais como Minerva, Sophia, Athena, Ísis e Ceridwen.

Até mesmo no misticismo judaico isso pode ser visto. Shekinah, a parte feminina do Deus judaico-cristão, é também relacionada à Sabedoria.

Às deidades masculinas normalmente o que cabe não é exatamente a Sabedoria, mas o Conhecimento, o que pode ser muito bem visto em Thot/Hermes.


Embora possamos sentir a Deusa, ter uma experiência direta com Ela, realmente tomar conhecimento empírico de que Ela existe, não podemos compreendê-La em sua totalidade.

A Deusa transcende tudo o que conhecemos.

Pois Ela é tudo o que é conhecido e também todos os mistérios que ainda estão por ser revelados.

Todos os conceitos que podemos formular através da nossa mente tão poderosa e tão limitada são dissolvidos por Ela.

Bem e mal, certo e errado, nada disso existe para a Deusa. Ela está além disso.

Ela está ligada não apenas à criação, mas também à destruição.

E não vemos nisso o mal.



A destruição é um processo natural para que a criação possa se dar.

Ao se cortar madeira e queimá-la em um fogão à lenha, garante-se que comida poderá ser preparada e uma família ter suas necessidades alimentícias satisfeitas.

Através da destruição da madeira o sustento de uma família foi garantido.

A destruição não é algo mau em si, desde que trabalhe lado a lado das forças da criação.

Por isso, não devemos ver tudo o que é destrutivo como algo maléfico.

Muitas vezes o que parece aterrorizante é uma força necessária.

Não dá para conceituar com exatidão os processos da Deusa, pois eles transcendem a nossa capacidade de compreendê-los totalmente.

Tem se falado muito atualmente, nos meios da Bruxaria, sobre a segunda vinda da Deusa.

Com o florescimento da Bruxaria Tradicional e outras religiões pagãs a partir do meio do século 20, o aspecto feminino da Divindade voltou à tona, depois de pelo menos dois mil anos relegado à obscuridade, muitas vezes referido como algo maléfico.

Na realidade, a Deusa não está voltando de algum lugar para aqui onde estamos, é claro!

Se a Deusa não apenas tudo criou como tudo é, como pode ela ter ido para algum lugar em que Ela já estava para depois voltar para algum lugar da onde Ela nunca saiu?

A volta da Deusa é o reflorescimento da percepção dos seres humanos da parte feminina da Divindade.

É o encontro com o feminino que mora dentro de cada um de nós, o despertar da intuição, a capacidade de amarmos e respeitarmos ao nosso próximo, a compreensão das diferenças, a preservação da natureza.

Por muito tempo, os seres humanos deixaram de perceber o feminino na Divindade.

As religiões patriarcais, muitas vezes distorcendo o que foi pregado pelos seus fundadores (como aconteceu no cristianismo) passaram a valorizar o aspecto masculino mais do que o feminino, causando um desequilíbrio.

A Deusa perdeu sua importância para sobreviver pelos séculos em figuras como Virgem Maria e Maria Madalena, que, embora importantes, estão relegadas à segundo plano no patriarcalismo. 


Durante muito tempo o feminino esteve em baixa. Com a volta da Deusa, um reequilíbrio está vindo à tona.

Não julgando o patriarcalismo como algo definitivamente maléfico, pois ele também teve os seus méritos, o Divino Feminino vem para corrigir distorções que se estabeleceram com o tempo.


A centelha Divina está dentro de nós mesmos, não distante e inatingível, e ela jamais é punitiva e castradora, pois é acolhedora, como uma Mãe.
A conexão com a Deusa é um processo vital na Religião da Bruxaria Tradicional.

A Deusa é a Grande Criadora e mantenedora da vida. É através dela que todas as coisas provém e a Ela tudo um dia retornará.

Segundo a Crença Pagã, a Deusa possui 3 faces:
A donzela, a Mãe e a Anciã. As 3 faces da Deusa estão ligadas às 3 faces da Lua trabalhadas na Bruxaria, que são as Luas Crescente, Cheia e Minguante, e aos 3 ciclos de nossa vida, que são a infância a maturidade e a velhice.

Entrar em contato com as faces da Deusa significa saber o que esse período podem nos trazer de positivo o que aprendemos e poderemos aprender com eles

Donzela

Dentre as 3 faces da Deusa, Donzela ou, como também é chamada, a Virgem é a mais jovem, relacionada com os descobrimento e aspectos mais criativo de nossa personalidade. Ela é a inocência e despreocupação, a alegria de viver. Esta associada com a Primavera e é festejada em Ostara.

O termo Donzela ou Virgem não se refere ao sentido sexual, mas sim ao aspecto de inocência e independência. A Virgem e a dona e responsável por si mesma. Este é um sentido quase inconcebível de pensar em uma sociedade patriarcal, mas que era muito compreendido e aceito entre as sociedade primitiva.

Os nomes recebidos pela Donzela variam de acordo com as distintas culturas em que a encontramos. Damos como exemplo:

Ártemis: Deus romana dos bosques e da caça, tida a eterna Virgem.
Perséfone: Também conhecida como Prosérpina, cujo nome justamente significa Donzela. É a filha de Deméter e foi raptada por Hades; reina junto com ele no Submundo, lembrando-nos assim o outro aspecto da Deusa: A Anciã.
Rhianon: Deusa celta que saiu do submundo, que a relaciona com Perséfone.

Rituais que usam a face Virgem da Deusa

· Qualquer novo inicio, ou até mesmo esperanças e planos para novos começos.
· Quando assumimos um trabalho novo ou planejamos solicitar um novo trabalhos.
· Durante os "primeiros passos" das novas idéias.
· Sempre que você planeja ou começa um ciclo completo em sua vida.
· Quando se muda para uma nova casa ou apartamento.
· Ao entrar em uma nova escola ou voltar a est7udar depois de um longo tempo.
· Qualquer jornada que esteja conectada com mudanças antecipadas.
· Começo de uma relação nova, amor ou amizade.
· Planos para engravidar.
· Nascimento de uma criança.
· A primeira menstruação de uma menina.
· O inicio da puberdade de um menino.

Os animais associados ao aspecto Virgem da Deusa são os Cervos e qualquer outro animal silvestre.
O aspecto Virgem da Deusa representa a mocidade, a excitação da conquista dos desejos, a novidade da vida e da magia. Na idade humana ela estaria entre a puberdade e os vinte anos. As cores dela são suaves e claras, como branco, cor- de- rosa ou amarelo.



MÃE


A face Mãe da Deusa é tida como a da eterna doadora da vida. Esta foi uma das primeiras representações religiosas expressas pelos seres humanos.

É a esse aspecto da Deusa que estão associadas todas as imagens que foram encontradas em escavações de sítios arqueológicos, como a Vênus de Willendorf.

Algumas imagens mitológicas atribuídas á Mãe são tidas tanto como criadoras quanto destruidoras. Podemos ver isso como a própria Natureza em todos os seus aspectos.

Existem numerosos exemplos que poderiam ser associados ao aspecto da Deusa.

Deméter: Encarregada da fertilidade da terra e das colheitas.

Ísis: Chamada também de a Grande Mãe Criadora e Doadora da Vida.

Badb: A Deusa celta que forma uma trindade junto com Anu e Macha. Possui um caldeirão como símbolo do ventre.

Freya: Considerada a líder das Disir, as matriarcas Divinas. Está intimamente ligada a Magia e aos gatos.

Todos os rituais que usam a face Mãe da Deusa

· Projeto de alegria e conclusão
· Quando o parto está próximo.
· Necessidade de força para finalizar algum assunto ou situação mal- resolvida.
· Benção e proteção. Especialmente a mulheres que são ameaçadas por homens.
· Direção em decisões na vida.
· Matrimônio.
· Achando ou escolhendo uma companheira ou um companheiro.
· Escolhendo ou aceitando um animal. Proteção de vida aos animais.
· Fazendo escolhas de qualquer tipo.
· Buscando por períodos de paz.
· Intuição ou desenvolvimento psíquico.
· Direção espiritual.

A Mãe é aquela que se volta para a nutrição, a preocupação e a fertilidade; é uma mulher no início da vida e no cume do seu poder. Ela protege e assegura a justiça. Na idade humana, seria uma mulher por volta dos trinta anos. As cores dela são um pouco mais fortes que as da Virgem, como vermelho, verde, cobre, púrpura, azul.
Os animais associados ao aspecto Mãe da Deusa são o gato e a pomba.

ANCIÃ
Sem a Virgem não há começos, sem a Mãe não há vida e sem a anciã não há o fim. A Deusa Anciã é o aspecto menos compreendido e o mais temido, já que nos leva inevitavelmente a refletir sobre a morte.
A Anciã foi reverenciada nas antigas culturas como regente do submundo, visto antigamente como um lugar de descanso das almas entre as reencarnações. Obviamente todos nascemos e morremos e a função da Deusa Anciã é nos acompanhar durante a última etapa de nossa vida, preparando-nos para o Outro Mundo.

Os exemplos associados a Deusa Anciã são:

Hécate: Entre os gregos chamada durante a idade Média de a Rainha das Bruxas, era uma divindade do Submundo e da Lua, adorada nas encruzilhadas, onde se faziam sacrifícios em sua homenagem.

Hel: Deusa germânica do Submundo. Segundo os Mitos, era a Ela que retornavam todos os mortos ao fim de sua existência.

Morrigu: Deusa celta dos Mortos, que também regia as guerras. Tem um aspecto triplo em si mesma e às vezes era chamada de "As três Morrigans".

Temas de Rituais que usam a face Anciã da Deusa:

* Relações, trabalhos, amizades e amizades que estejam terminando.
* Menopausa ou sintomas de envelhecimento.
· Divórcio.
· Um reagrupamento de energias necessárias para o término de um ciclo de atividades ou problemas.
· Tranqüilidade antes de pensar em novas metas e planos.
· Mudança de habitação ou trabalho.

A Anciã é um ser de sabedoria da idade avançada. Ela é a Bruxa e conselheira. Preocupa-se com a Virgem e com a Mãe. Ela é lógica e pode ser terrível em sua vingança. Na idade humana, ela teria aproximadamente 45 anos ou mais . Dos três aspectos o mais difícil de ter correspondência com a idade humana é o da Anciã. As cores tradicionais dessa face são : preto , cinza, púrpura, marrom, ou azul noite.
O aspecto negro da Deusa nos ensina que, assim como tudo na Natureza se move em ciclos, nossa vida segue o mesmo fluxo, e devemos aceitar a morte como uma passagem a outro estado, tão válido e parte da vida quanto o próprio nascimento.
Os animais associados à Deusa Anciã são a coruja, o corvo e o lobo.

Selma - 3fasesdalua


sexta-feira, 25 de março de 2016

NÓS SOMOS AS BRUXAS DA BRUXARIA TRADICIONAL


"O Senhor Chifrudo disse um dia que a feitiçaria é uma espada sem cabo. Não há maneira segura de pegar nela." Tormenta de Espadas 
George R. R. Martin.



Nós da Bruxaria Tradicional aprendemos que a Magia é uma Arte Antiga, na verdade tão velha quanto o Homem e (de um jeito ou de outro) vem sendo praticada até hoje... Muitos falam de magia, mas poucos sabem, realmente o seu verdadeiro significado,por isto as pessoas têm muito medo daqueles que conhecem a si mesmos. Estes têm um certo poder, uma certa aura e um certo magnetismo, um carisma capaz de ser livre de preconceitos e de tudo que seja contra a sua natureza.

Falar de Magia é também falar do que Eu e minhas irmãs somos Bruxas por isto precisamos de silêncio e solidão para compreender o próprio caos... Mas nossa solidão é povoada de presenças invisíveis à maior parte dos olhos e seu silêncio é a música do mundo. Bruxas são o caos e a ordem no corpo de uma mulher mágica.

Para os leigos a Tradição é uma arte que somente os fortes, suportam carregar, por isto toda Bruxa (o) sabe que a Bruxaria Tradicional é um dos caminhos entre o mundo visível e o mundo oculto, que esta além do alcance dos cinco sentidos dos seres humanos.

A Bruxa é inteira nela mesma. Encontra a plenitude em si. E mesmo dividida entre mundos mesmo sendo ponte entre diferentes realidades e tendo tantas fases como a Lua, ela é inteira, ela está completa, ela é selvagem e é livre, pois somos filhas e filhos da Lua por isto conseguimos, sentir a Senhora do céu da noite que é a a guardadora dos nossos sonhos e visões e sempre está me mostrando como transformar os sonhos em realidade e como viver bem a minha verdade. Ensina-me a usar a força da vontade para recuperar meu antigo poder, sempre preocupada em me revelar as minhas facetas de sombras e de luz para assim Eu alcançar a totalidade da sabedoria.



Aprendemos na Bruxaria Tradicional que as sementes do futuro já existem dentro de nós, por isto temos sempre que cuidar, adubar para que cresça uma boa flor, pois temos a sabedoria de que tão perigosa quanto a inveja é a capacidade de o ser humano achar que chegou ao topo, pois quando ele acha que pode tudo, começa o fim.

A Bruxa sabe que tem o seu caminho, Ela sabe que é a ordem natural das coisas, pois Ela é o caminho da natureza que se move em todas as coisas.
O modo como as coisas fluem...
O modo como as coisas são...
O modo como as coisas devem ser, pois assim é a Bruxa Ela é o caminho de tudo.

As Bruxa, encontram nos Deuses o acalento necessário para curar suas dores mais profundas; encontra na magia as ferramentas necessárias para transformar a realidade e encontrar se, nela mesma, o poder que a faz seguir em frente mesmo em tempos de tempestade... Com passos firmes, ela é a mestra dos próprios caminhos com os seus sentidos ela escute a voz do vento... Ele diz: Liberte-se! Volte-se para o seu íntimo, retorne à casa em que seu coração habita há muitas vidas, ouça a música do mundo... Ela te chama! Escute a voz da Deusa, Ela sussurra o seu nome... Você faz parte do corpo dEla, você é Ela. Você é a senhora de si! Dona de seus caminhos... Bruxa mestra de si mesma! Tome-se nas mãos... E liberte-se, pois como nós sabemos "Somos as netas das bruxas que não conseguiram queimar por isto estamos todas juntas novamente"

Eu não me importo se as suas crenças forem diferentes das minhas se o nosso coração comungar de uma única fé, a fé no amor, pois esta é maior Magia de todas.


Selma – 3fasesdalua



FELIZ OSTARA OU UMA FELIZ PÁSCOA


Ostara, também conhecido como Equinócio de Primavera ou Equinócio Vernal,celebra a chegada da nova estação. Esse festival celebra o dia em que o Sol,na sua migração para o Norte, atravessa a linha do Equador.
Ostara marca a data em que anoite e o dia são iguais e equilibrados em sua duração. Um dos símbolos de Ostara é o ovo, assim como o coelho.

O coelho é um animal sagrado para a Deusa Oster (palavraque significa “época de páscoa” na Alemanha), Deusa escandinava da fertilidade é Elaque que honramos neste dia.
Durante Ostara, a neve começa a derreter nos campos, os dias estão adquirindo mais luz e calor, e as folhas e flores começam a nascer.

Esse é um tempo de regozijo, dança, celebração. O inverno passou e nós sobrevivemos à aspereza dos dias mais escuros. A vida começa novamente. Esse é um tempo para plantar as sementes de nossa flor, erva, legume e jardins espirituais.
Que sonhos a serem fertilizados pela terra você plantará? Em vista a analogias no nome, simbolismos e época, queremos crer ter sido nessa antiga festividade pagã a origem da páscoa hebraico-cristã.


É prática da Bruxaria a decoração (com símbolos mágicos) de ovos crus ou cozidos.
Ovos decorados sempre foram símbolos de fertilidade. No séc. XVII, na França, eram dados ovos decorados às novas noivas, na esperança de que pudessem ter muitos filhos.

Na Alemanha, eram dadas tigelas cheias de ovos aos trabalhadores do campo pelas esposas dos fazendeiros, visando assegurar assim, uma colheita rica e fértil.
Muitas culturas vêem o ovo como um símbolo de vida, ou o receptáculo do espírito.
O ovo é símbolo de boa fortuna na Rússia e decorar ovos é uma prática entre namorados, assim como acredita-se que enterrar ovos decorados, por vezes, são mesmoconsiderados como verdadeiras jóias e ornados com pedras preciosas; um bom exemplo são os famosos ovos Fabergé e Tiffany.

Em Ostara, o Deus e a Deusa despertam nos animais selvagens o desejo àreprodução.
O Deus Cornífero vivencia sua plena maturidade e a Deusa é reverenciadaem seu aspecto de Deusa da Primavera.




Frutas e Plantas :

Flores-do-campo, narciso, madressilva, íris, jasmim, rosa, morangos violeta.

Comida típica:

Sementes como o girassol, abóbora e gergelin, assim como castanhas de Pinheiro.
Verduras folhosas e verdes.


Ovos recheados de Ostara:

Comer ovos no Equinócio Primaveral é o equivalente a estar ingerindo a energia


Ritual para Ostara:

O altar deverá estar voltado para o norte.

Trace o círculo de forma ritualística.

Coloque uma vela da cor apropriada ao Sabbath ao sul (a cor é branca),representando o elemento fogo.

Coloque também a tigela com os ovos cozidos decorados com símbolos mágiccos de fertilidade ou outros símbolos relacionados a seus desejos.


Após evocar os Deuses, diga:

“Abençoado seja este círculo de SabbathNo nome divino de OstaraDeusa antiga e fonte de fertilidade
Em seu nome sagrado
E sob sua proteção
Está agora iniciado o Sabbath."

Ajoelhe-se no altar e toque a lâmina do athame no coração dizendo:

“Abençoada seja a deusa da fertilidade, abençoado seja o rito da primavera.Abençoado seja o rei que é o deus sol , abençoada seja a sua luz sagrada.”

Toque com a lâmina do athame sobre a testa dizendo:

“O Sol cruzou o equador, dando a Lua horas iguais no dia.
A fonte da Deusa é afinal renascida, a sua beleza dá a vida para as árvores e flores.
Abençoada seja a deusa verde divina, ela é a fonte de todas as coisas vivas.
Abençoado seja o do verde esplendor, para os Deuses dedico esta canção que eu canto.
Desperte um, desperte tudo e ouça a voz do chamado da Deusa.
Abençoada seja nossa terra de Ostara, que seja cheia de paz, Magia e amor.
A Deusa toma o fôlego da vida, a deusa dá a vida, pois ela é a vida".

Selma = 3fasesdalua


domingo, 21 de fevereiro de 2016

Tiresias, o adivinho cego


Tirésias foi um famoso profeta cego de Tebas desempenhando importante papel na maior parte das lendas do ciclo tebano. Ele era o maior, o mais considerado e um dos mais notáveis adivinhos da mitologia grega. Alguns dizem que descendia de um dos guerreiros que nasceram dos dentes do dragão semeados por Cadmo, personagem lendárioconsiderado como um dos disseminadores da civilização oriental na Grécia Central primitiva. Outros dizem que era filho do pastor Everes e da ninfa Cariclo. Conhecia o passado, presente e o futuro, além de interpretar o vôo e a linguagem dos pássaros.

Certa vez, indo ele orar sobre um monte Citeron, montanha da região central da Ática, consagrada antigamente ao deus Dionísio e às musas, encontrou um casal de cobras venenosas copulando, e ambas se voltaram contra ele. Tirésias matou a fêmea e imediatamente se transformou em mulher. Sete anos depois, indo orar novamente sobre o mesmo monte, encontrou outro casal de cobras venenosas copulando. Matou o macho e se transformou novamente em homem.

Por seu conhecimento sobre as particularidades dos dois sexos, ele foi chamado para opinar sobre quem estava com a razão em uma discussão que envolvia Zeus e Hera. A discussão envolvia saber quem teria mais prazer sexual, o homem ou a mulher. Viu-se, assim, diante da difícil tarefa de decidir a questão, porque sabia que qualquer que fosse sua decisão, um dos deuses ficaria irado com ele. De um lado Hera afirmava que o homem tinha mais prazer; Zeus dizia que era a mulher. Tirésias deu o seu veredicto: “se dividirmos o prazer em dez partes, a mulher fica com nove e o homem com uma”.

Hera considerou que com aquelas palavras, Tirésias teria sugerido a superioridade do homem, e o cegou implacavelmente. Mas Zeus, compadecido da situação de Tirésias, lhe concedeu o dom da adivinhação, de conhecer o futuro, além do privilégio de sobreviver a sete gerações humanas e compreender a linguagem dos pássaros. Outras versões explicam que Tirésias perdeu a capacidade de enxergar ao ser castigado pelos deuses por ter revelado aos mortais os segredos do Olimpo; ou que foi punido por ter revelado a Anfitrião sobre as aventuras de Alcmena; ou que teria observado a deusa Atena banhar-se na fonte Hipocrene.

Residindo em Tebas, foi Tirésias quem predisse que Édipo, vencedor da Esfinge, assumiria o trono de Tebas e tomaria a mão de Jocasta, e ainda auxiliou ao herói na descoberta do mistério sobre seu nascimento. Predisse a morte dos sete chefes de uma infortunada expedição contra Tebas, e depois aconselhou aos tebanos a entrar em negociações com os Epígonos, que eram os filhos dos chefes mortos.

Não se sabe se escapou dos invasores ou se foi levado por eles como cativo. Conta-se que ele viveu até nove vezes a idade normal de um ser humano, período durante o qual foi sucessivamente homem e mulher. Mas a tradição revela que mesmo depois de morto o adivinho conservou o dom dos prognósticos, dos pressentimentos e das previsões, que exerceu no Inferno. Tirésias era adorado como um deus pelos tebanos, tanto que perto de Orcômeno, foi erigido em sua honra um célebre oráculo.

Tirésias com o seu dom, teve o privilégio de sobreviver a sete gerações humanas. A mitologia grega está repleta de diversos personagens com a finalidade de revelar ao homem os desígnios dos deuses bem como o de descobrir que surpresas lhe reservava o destino. O grande interesse dos gregos pelo futuro aumentava à medida que as circunstâncias adquiriam um caráter adverso, ou seja, era justamente durante as crises, fossem elas grandes ou pequenas, de caráter pessoal, familiar ou social, que a consulta aos mensageiros dos deuses aumentava.

Oráculos, pitonisas, sacerdotes, adivinhos e sacrifícios são abundantes na mitologia. Mais do que palavras, traduziam a fé do homem da época na existência de um poder superior e na possibilidade de relações recíprocas com este poder. Cada vez que um mortal dirigia uma pergunta a um deus, a resposta que recebia era denominada oráculo que vinha em forma de metáforas, nem sempre compreendida por quem os consultasse.

O homem sempre esteve inquieto pelo conhecimento do futuro, buscando meios de conhecê-lo através de inúmeros oráculos e ciências, que atualmente proliferam com a promessa de revelar as circunstâncias futuras, sendo que muitos não passam de embuste; seu fim é enganar incautos. Outros, lançam previsões alarmistas apenas para atender finalidades pessoais. Este é o motivo que muitas vezes leva à descrença e ao desprezo pelas artes que visam orientar as pessoas.

O principal propósito da Astrologia é ajudar as pessoas a descobrirem seu potencial e talentos, a aceitarem a si mesmas e aos outros, melhorando seus relacionamentos sociais, pessoais e profissionais. Por isso, é imprescindível que os astrólogos tenham bom senso, responsabilidade moral e muito conhecimento astrológico para que possam oferecer um trabalho sério e honesto. O objetivo deve ser de ajudar as pessoas a reconhecer sua participação nos ciclos e eventos cósmicos e a ter uma perspectiva mais realista acerca de si mesma e de suas relações com o mundo exterior, identificando um sentido ou significado acerca das situações que vive, desenvolvendo a autoconsciência.

O astrólogo responsável sabe que é imprescindível saber como a pessoa vive o potencial mostrado pelo seu mapa, e tem consciência que os astros inclinam, mas não determinam, reconhecendo que todo ser humano é dotado de livre arbítrio e pode enfrentar e modificar as condições adversas encontradas em seu mapa astrológico de nascimento. O verdadeiro astrólogo sabe que ele é apenas intérprete e todo mérito pertence à Astrologia. Porém maus profissionais se deixam fascinar e podem causar danos irreparáveis a quem os consulta.

Maus profissionais costumam encarnar vários personagens, desde os especialistas em interpretações negativas, passando pelos que tentam enquadrar todos os clientes em algum tipo de diagnóstico psicológico, pelos que acham que as forças cósmicas são maiores que o livre-arbitrio, pelos que só dizem coisas agradáveis, os mal-intencionados que querem manipular ou programar a vida dos clientes, até os completamente incompetentes, que possuem apenas conhecimentos superficiais de astrologia, sendo estes os mais destrutivos de todos.

A astrologia pode prever o futuro e é possível descobrir, mediante estudos, as épocas futuras positivas ou negativas para cada uma das atividades da vida. Isto permite contornar e minimizar os problemas e maximizar os resultados em tudo que procuramos fazer de importante. Como conhecimento em si, a Astrologia desvenda os segredos da mecânica do Universo, a sua maneira de administrar o Karma e propiciar os acontecimentos terrenos. Mostra-nos que o acaso não existe e que há uma profunda coerência e justiça nas ocorrências de nosso destino, porém valorizando o livre-arbítrio.

Embora alguns astrólogos possam se colocar como mestres, gurus, conselheiros etc., a astrologia é apenas um estudo que permite uma profissão regulamentada e não dá nenhum poder divino àqueles que a exercem, pois as teorias e estudos astrológicos estão disponíveis a quem tenha interesse em praticá-la. Porém alguns astrólogos se recusam em compartilhar seu conhecimento e experiência, em detrimento de tão apaixonante ciência. Mais grave, são os astrólogos que estipulam preços exorbitantes pelos seus serviços, restringindo a consulta e o estudo astrológico para poucos privilegiados...

FONTE: MITOLOGIA GREGA


Selene, o encanto dos enamorados


Os titãs Téia e Hiperion tiveram três filhos, as mais lindas crianças do Olimpo: Selene - a lua, Helius - o sol e Eos - a aurora. Outros deuses, invejando a beleza dos filhos de Téia, lançaram Helius nas águas negras do Eridano. Quando Selene mergulhou à proura do irmão, foi tragada pelas águas. Ao saber do trágico destino dos filhos, Téia os procurou por todo o mundo e cansada adormeceu.

Ao acordar Téia viu seus filhos no céu, iluminando tanto o sofrimento como a alegria dos mortais: Eos - a Aurora, abria as portas para a chegada de Helius - o Sol - que acompanhava o dia. Selene - a deusa da lua - acompanhava a noite. A jovem tinha a pele tão branca quanto a neve e viajava em uma carruagem de prata puxada por dois cavalos. Com seu manto prateado, carrega uma tocha e tem uma meia lua em sua cabeça.

Selene nunca se havia interessado por homem algum. Sua imagem pálida e solitária atravessava os céus numa rotina de pura melancolia. Certa noite ela foi acompanhada pelos olhos sonhadores do tímido Endimion, um belo pastor da Tessália que levava o rebanho para o alto da montanha para poder observá-la mais de perto. De tanto contemplá-la, ele conseguiu compreender o caprichoso ciclo lunar que era um mistério para todos.

De tanto ver o pastor Endimion a contemplá-la, Selene quis conhecê-lo, pois talvez ele fosse um homem diferente capaz de entender o ritmo de seus delicados movimentos pelo céu noturno. Abandonando seu curso, Selene encontrou Endimion adormecido ao relento no alto do monte. Seu sono era sereno e seu suave semblante tocou o coração de Selene que sentiu-se invadida por uma paixão que nunca antes experimentara.

Depois dessa noite, ela ficava perturbada cada vez que avistava Endimion no alto do monte a apreciá-la. Certa noite, não resistindo aos encantos do amado Selene abandonou seu curso e foi encontrar-se com Endimion que dormia numa caverna. Beijando-lhe os olhos, infundiu-lhe um sono mágico. Tomada pela paixão, ela se esqueceu de que era a luz que iluminava a noite o que causou um eclipse total, deixando o mundo totalmente escuro.

Zeus, o deus dos deuses, não tolerava qualquer distúrbio no cosmos e resolveu castigá-la. Porém Selene o sensibilizou quando revelou que estava apaixonada pelo mortal, que era sujeito ao envelhecimento e à morte. Para preservar a felicidade de Selene, Zeus fêz Endimion dormir eternamente para nunca envelhecer e não temer a morte. Endímion dorme até hoje e não pode ver a linda luz prateada enquanto Selene cruza os céus. Algumas vezes, Selene abandona os céus e vem juntar-se a ele nas noites escuras da Lua Nova e quando ela eclipsa.

Selene representa todas as fases da Lua e seu nome deriva do grego "selas" que significa luz e claridade. Selene estava relacionada ao nascimento, crescimento, fertilidade e falecimento. Conhecida por sua grande importância na magia, era associada a Artemis ou Hécate, sendo também conhecida pelos romanos por Luna ou Lua e tradicionalmentecelebrada no dia 7 de fevereiro.

O mito de Selene está relacionado ao encanto dos enamorados. Cheia de encanto e magia, inspiradora dos poetas, companheira dos solitários, confidente dos namorados, lá no alto, ela nos acompanha no nosso percurso pela vida. A Lua inspira os poetas a falar de amor, do amor romântico que não conhece o tempo e nem a hora. Esse é o desejo dos enamorados: cristalizar para sempre aquela intensa paixão dos primeiros encontros.

Infelizmente isso não foi possível, pois a Lua e o pastor estavam juntos mas continuavam sozinhos. Não puderam conhecer um ao outro, porque não se falavam e não se olhavam. Não riam juntos, não faziam projetos, nem ao menos discutiam um com o outro. Não compartilhavam segredos, alegrias ou tristezas e não podiam, a cada noite, contar umao outro os vestígios do dia, aquelas coisas tão simples, sem as quais o amor não sobrevive...

Fonte: Eventos Mitologia Grega

Faxina da Bruxa.


Talvez alguns já tenham lido este post. Mas gosto de repeti-lo para que todos possam aproveitar as dicas.

Vão algumas dicas para manter seu lar com energias positivas.

Acenda incensos pela casa. Ponha uma musica boa e mãos a obra.

Comece jogando fora o que não usa mais. Procure manter o necessário e o que te ajuda. Coisas inúteis entulhadas juntam energias negativas. Então se libertem. Daquela tranquera que não usa mais. 

Eu era muito presa nisso. Fazia artesanato e tinha muita coisa guardada que não usava. Um dia percebi que aquele ambiente cheio de coisas inúteis pra mim, era carregado. Criei coragem e fiz uma limpeza. Joguei fora e doei algumas coisas também. Vamos fazer as energias circularem, nos desapegando do que não usamos.

Limpe a casa como costuma diariamente e logo após faca uma limpeza da seguinte maneira:
Prepare um chá forte de Alecrim com pitadas de pimenta do reino. 

Passe esse chá por toda casa e também nos batentes de portas e janelas mentalize sua casa sendo livrada das energias negativas. Faça um x na frente das portas e janelas mentalizando todas as coisas ruins sendo bloqueadas e expelidas da sua casa. 

Se você tiver uma vassoura de bruxa, pegue- a e vá varrendo sem encostar no chão. Limpando as energias negativas após ter passado o chá no chão. Faça tudo isso com alegria no. Cantando. Dançando. Ira passar suas boas vibrações a casa.

Boa faxina.


Selma - 3fasesdalua

Aura.


Não há duas auras humanas exatamente iguais. A aura externa juntamente com seu núcleo energético e seus componentes estruturais, é diferente em cada individuo. Entre as características distintas da aura humana, temos grandes variações na cor, brilho, aspectos estruturais, níveis de frequência e magnitude ou expansão. 

A aura, como normalmente é vista, envolve todo o corpo a uma distância que vai de poucos centímetros a alguns metro, é nosso contato com o cosmo, o veiculo energético até o universo e suas poderosas frequências.

As cores encontradas na aura humana podem conter todas as variações do seu espectro, mesmo aquelas invisíveis ao olho humano. A cor predominante costuma ser uma brilhante esfera energizada envolvendo o corpo todo e cada uma destas cores, bem como o brilho desta coloração, indicam certas características pessoais.

A simples observação da aura, seja a nossa própria, seja a de outra pessoa, tende a estimular nossos recursos interiores, inclusive nossas faculdades psíquicas. Por isso, os sensitivos costumam contemplar a aura das pessoas antes de uma leitura como forma de ativar seus poderes extrassensoriais, inclusive clarividência, precognição e telepatia.

Já que algumas pessoas do grupo gostam de fazer experiências, segue uma pequena descrição sobre como observar a aura da mão:

1. Relaxamento: Respire fundo e expire lentamente enquanto limpa a mente de todos os pensamentos ativos. Permita-se ficar cada vez mais relaxado, começando pelos músculos da testa e depois descendo suavemente, permeando todo o seu corpo com o relaxamento.

2. Abertura dos dedos: Estenda a mão (qualquer uma) e a mantenha esticada, com a palma voltada para frente, o antebraço também estendido e os dedos levemente abertos, sobre um fundo de cor esbranquiçada, ou clara, que não agrida a vista.

3. Visualização: Visualize um pequeno ponto flutuando no espaço entre o polegar e o indicador.

4. Olhar fixo. Mantenha o olhar fixo e vago sobre o ponto imaginário ate a aura aparecer, primeiro como um brilho esbranquiçado ao redor do polegar e do indicador, e depois em cores ao redor da sua mão e antebraço. Caso se canse durante esta etapa, relaxe durante alguns instantes e depois retome a contemplação.

5. Observação da Aura. Desloque seu olhar do ponto imaginário para a aura, e veja suas características singulares. Preste atenção principalmente na cor da aura, em seu aspecto estrutural e em sua amplitude.

A observação da aura pode ser mais ampla e serve para que sejam determinadas intervenções para que sejam tomadas medidas de fortalecimento, proteção, cura, dentre outras.


Selma - 3fasesdalua

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...