sexta-feira, 13 de setembro de 2013

HOJE É NOITE DE SEXTA FEIRA 13


Independente da crença e da época, toda sexta-feira 13 desperta uma atenção diferente, por isto muitas pessoas sentem arrepios ao olhar no calendário e se deparar com uma sexta-feira e esta é primeira Sexta-feira 13 de 2013, quem poderia ficar indiferente diante de uma data tão atípica. 
A nossa sociedade atual está recheada de superstições, como o medo de cruzar com um gato preto, de passar por baixo de escadas e de quebrar um espelho. A crença de que o dia 13, quando cai em uma sexta-feira, é dia de azar é uma crença popular, mas a superstição não é nova e tampouco praticada por minoria.


Para as bruxas o “dia do azar” é considerado uma data mágica para a realização de desejos quando a sexta-feira 13 se aproxima paira um clima de mistério no ar. Até os menos superticiosos acabam tomando um certo cuidado, afinal de contas, segundo o ditado popular é o dia em que as bruxas estão soltas.

Alguns historiadores culpam a desconfiança dos cristãos com as sextas-feiras em oposição geral às religiões pagãs. A sexta-feira recebeu seu nome em inglês em homenagem a Frigg, a deusa nórdica do amor e do sexo. Essa forte figura feminina, de acordo com os historiadores, representava uma ameaça ao cristianismo, que era dominado por homens. Para combater sua influência, a igreja cristã a caracterizou como uma bruxa, difamando o dia que a homenageava. Essa caracterização também pode ter tido um papel no medo do número 13. Foi dito que Frigg se uniria a uma convenção de bruxas, normalmente um grupo de 12, totalizando 13. Uma tradição cristã semelhante considera o 13 amaldiçoado por significar a reunião de 12 bruxas e o diabo.



A sexta-feira e o 13, juntos ou separados, na verdade, nada podem. Eles mesmos não têm poder algum. São inofensivos. O poder está em quem acredita que eles têm poder. O poder, para o bem ou para o mal, está em que acredita que eles podem criar, gerar ou fazer o bem ou o mal.

As bruxas utilizam um calendário que contém 13 luas, o mesmo usado pelos índios, e que sexta-feira é o dia da semana regido por vênus, deusa do amor, e que, por ela ser muito poderosa, foi associada a algo maligno pelos europeus. Com isso, deusa e número passaram a fazer parte da mística da bruxaria e a sexta-feira 13 virou um dia de azar. A superstição sobre o dia 13 surgiu por volta de 1500, na Europa, por ser o número mais usado nos rituais de bruxaria. As bruxas utilizam um calendário que contém 13 luas, o mesmo usado pelos índios, e que sexta-feira é o dia da semana regido por vênus, deusa do amor, e que, por ela ser muito poderosa, foi associada a algo maligno pelos europeus. Com isso, deusa e número passaram a fazer parte da mística da bruxaria e a sexta-feira 13 virou um dia de azar.



Quem tem triscaidecafobia tem medo maior que o comum do número 13. Já quem só teme a Sexta-Feira 13 tem parascavedecatriafobia. 

O 13 é um número importante para as bruxas. A natureza tem como base primordial a quantidade de 13 lunações para o ciclo completo da lua. Por isso o 13 foi associado ao fechamento perfeito de um ciclo.

Longe dos mitos de azar, esse é o momento de transformação e renascimento, “Muitos mitos, sobre heróis aparecem na quantidade de 12 (12 profetas, os 12 signos do zodíaco, 12 horas). O 12 encerra um sistema completo e passa a ideia de segurança. O 13, então, significa a ruptura de tudo isso, mas, após a mudança, é possível continuar a evolução. Dessa forma, o 13 passa a ideia do desconhecido e, por isso, ele traz o ‘medo’”

O que então faz a diferença? O que faz com que o número 13 e a sexta-feira sejam positivos para alguns e negativos para outros, e ainda neutros para outros?

Mais uma vez é tudo uma questão de sintonia. Somos o que pensamos, transformamo-nos naquilo em que acreditamos, vivemos naquilo em que criamos para nós mesmos.
O medo do número 13 é uma crença tão presente na mente das pessoas que a Psicologia tem um nome de fobia específico para isso.

Um comentário:

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...