sábado, 13 de abril de 2013

A criança sábia celta


A infância é um período mágico para os celtas. Existem leis que regulamentam os deveres dos pais biológicos e adotivos com respeito aos cuidados e à educação dos filhos pequenos. Uma das primeiras responsabilidades é escolher cuidadosamente o nome da criança, pois o significado do nome determina o papel que a pessoa desempenhará na vida adulta. Também é importante que a criança receba um nome antes que seja afetada por forças adversas que possam influenciar o seu destino. Contudo, muitas crianças especiais - aquelas que possuem uma sabedoria extraordinária e estão destinadas a transmiti-la aos outros - recebem o nome de episódios aparentemente acidentais, mas também simbólicos, ocorridos na sua infância. Essas "crianças sábias" são associadas com a água ao nascer ou logo depois do nascimento, e passam por um "segundo nascimento", do qual emergem precocemente instruídas e dotadas de poderes sobrenaturais.

A água é um ambiente natural para as crianças sábias, como também é fonte de vitalidade para todos os seres vivos e um símbolo de inspiração poética. O motivo da água - como o da luz emergindo das sombras e o do dom psíquico da "visão" - está presente em muitas histórias. O jovem herói Finn, cujo nome significa "brilhante", mergulha na água tão logo nasce para fugir das tentativas do rei de assassiná-lo. A criança emerge da água segurando um peixe e cresce em segredo até ter idade suficiente para reivindicar sua herança. O bebê Morfhind, cujo nome significa "brilho imenso", nasce com uma membrana em torno da cabeça e por isso é jogado ao mar para se afogar; no entanto, em vez disso ele vem à tona na nona onda e começa a falar.

Embora as crianças sábias comecem sua vida na escuridão física - Morfhind com a membrana lhe cobrindo a cabeça, o bardo Taliesin num saco preto, elas logo recebem nomes associados à luz, que revelam a sua visão especial de poeta e vidente. A idéia de que as crianças possuem uma sabedoria inata (ou a adquirem pouco tempo depois) está presente no Livro de Taliesin: "Velho é o homem quando nasce, e jovem, jovem para sempre depois disso" - um paradoxo coerente com a crença celta no ciclo de vida, morte e pós-morte.

FONTE: CIVILIZAÇÃO CELTA

7 comentários:

  1. Respostas
    1. querida Lady, obrigada por sua visita e seu comentário ja passei no seu cantinho.

      bjs

      selma/marcos

      Excluir
  2. Respostas
    1. caro leandro estevão

      temos a nítida impressão que você errou de endereço, e por muito pouco não excluimos seu comentário.

      se caso queira voltar a frequentar esse blog, não force a barra com expressões de outras religiões.

      só falta você distribuir papéizinhos alusivos a algum pastor milionário.

      3fasesdalua

      Excluir
  3. interessante conto celta!

    www.sramaia.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Beatriz Maia. que bom vc passar aqui, espero que volte outras vzs.

      selma-marcos

      Excluir
  4. muito obrigado sou do sexto ano ajudou muito a fazer o monologa de hades,também hades tem uma historia muito interessante

    ResponderExcluir

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...