sexta-feira, 29 de junho de 2012

XAMANISMO O CAMINHO DA MAGIA DAS BRUXAS (OS)


"Somos a lenda da humanidade,algo profundo e criativo
A arte perfeita da Deusa..."

"O xamanismo é a prática espiritual mais antiga. Numa certa época, era praticado no mundo inteiro", afirma Matthews. "E quase todas as religiões têm elementos xamânicos, ainda que estes não apareçam com frequência". O principal destes elementos que definem o xamanismo é a crença de que tudo é sagrado e divino. "O xamã torna-se um com a natureza, com o planeta, e se comunica com os espíritos dos animais e de todas as coisas que crescem". E isto, diz Matthews, é a linha mestra de todo o xamanismo - seja ele norte americano, siberiano, brasileiro, celta. É o que ele chama de "core shamanism", as principais práticas que estão presentes no xamanismo de qualquer cultura.

MAGIA, XAMANISMO, BRUXARIA são caminhos para desenvolver nossas habilidades a fim de que "surfemos" as ondas que chegam e não sejamos afogados por elas. É aqui então que reconhecemos a realidade de um caminho tradicional. Se este caminho nos permite despertar, nos auxilia a sair da auto-ilusão na qual nos mantemos, repetindo a programação que nos foi incutida, temos um caminho efetivo.



Quem pratica a Magia certamente já se deparou com o xamanismo e com a cultura celta. Mas provavelmente nunca os colocou juntos numa mesma frase. Se ao contrário apenas está preso a formalismos, ritualismos, a conhecimentos teóricos e nenhuma atividade efetiva que nos torne mais estratégicos em nosso ser e estar no mundo, então podemos estar num pseudo caminho, que pode nos prender ainda mais, nos entorpecer ainda mais nessa viciada interpretação oficial da realidade. Sensibilidade é nosso termômetro, perceber os resultados concretos, não os anunciados.

MAGIA, BRUXARIA e XAMANISMO são caminhos de ação, não de racionalismos. É pelo ato que ritualizamos, que reatualizamos o poder.
Só com atos podemos curar o ser terra e ajudar a terra a saltar para o próximo nível de consciência.

Encontrar um caminho tradicional, que tem essa energia fluindo é uma grande sorte. Eu chamo de sorte, podem chamar de "desígnios do poder", "vontade da Deusa", ou seja lá o que for, mas o fato é que importa. Efetivamente algo lá fora, em um certo momento, interfere e muda tudo, nos coloca numa condição diferente de existência e isto é a maior iniciação possível.

Estar ligado (a) a uma linhagem de tradição é ter a chance de ser aconselhado (a) por homens e mulheres que vão lhe ajudar a evitar armadilhas, mas sem inibir suas habilidades. Uma falsa tradição vai ter pessoas querendo impor seus pontos de vista, querendo moldar os (as) aprendizes a suas concepções pessoais, a sua forma de ser e estar no mundo. Numa tradição profunda os mais velhos e as mais velhas vão lhe ajudar como um (a) jardineiro (a) ajuda a planta a desabrochar e revelar sua interior identidade.


O centro da jornada da magia xamã das Bruxas e Bruxos,segue os toques de tambor transportam o "viajante" a um transe onde eles encontram os animais de poder, guias e espíritos que o levarão ao que é preciso ver, descobrir ou curar. É uma jornada para dentro, mas não exclusivamente interior. Acessamos um mundo espiritual que está fora de nós, ainda que o vejamos sob o filtro da nossa própria história. "Com a jornada xamânica, convidamos este mundo, que está fora de nós, para que entre". O que encontraremos nessa viagem depende da cultura de cada um, do contexto e da necessidade e espiritual.

Caminhando em meio a loucura do mundo moderno as bruxas (os) achavam que era muita coisa para apenas um ser humano; mas e “sou bruxa (o) e por isso posso mudar o que foi constituído”,

Uma bruxa é um ser que caminha em ambos mundos, conectada com a natureza, com a Deusa.

Ser bruxa significa ter um Poder maior resultado da Sabedoria que a experiencia traz, e usar esse Poder em beneficio de todos.

Significa acreditar e atuar, amar e distribuir esse amor.

Significa viver em equilíbrio mesmo em meio às tormentas da Vida, baseada na compreensão de que o mundo o os seres são eternos, e por isso não há pressa para alcançar os objetivos.


Significa deixar o lado humano que nos pressiona à margem de nosso caminho e viver como um ser plenamente identificado com a espiritualidade que lhe é inerente.

Significa desdobrar o tempo e ver o que se esconde no entre meio de vida a vida, para poder encontrar a justificativa dos fatos sem pressão e sem culpa por ser o que somos.

Significa aprender a lembrar o que já fomos e ensinar e ajudar os outros a fazê-lo.

Significa ter plena consciência do que somos como seres espirituais, trilhando um Caminho que somente a Deusa sabe onde nos levará.

Significa lembrar de onde viemos, lembrar quando tudo começou e porque hoje estamos neste ponto da evolução.

Significa que a pesar de que nos levaram a viver como gado no pasto, não somos gado, e podemos mudar nosso destino, não nos deixando levar ao “matadouro”.


Podemos sim, nos negar a continuar neste Samsara porque não somos gado, e ainda que assim fosse, nada nos obriga a não evoluir e querer as coisas, querer um destino diferente, a não ser nossa própria ignorância.

- Não sou cega, então posso guiar outros!
- Se a Deusa me deu pés, foi para caminhar!
- Se a Deusa me deu Alma, foi para lembrar!
- Se a Deusa me deu mente, foi para aprender!
- Se a Deusa me deu Espirito, foi para evoluir!

E Ela me deu tudo isso e muito mais, me deu a Eternidade para que eu não tenha pressa, para que caminhe em meu próprio ritmo a partir da minha origem, descobrindo formas de forjar meu próprio destino.

Hoje é isso o que para mim significa ser uma bruxa, caminhar na magia do xamanismo mas certamente amanhã vai significar muito mais, porque sou um Ser em permanente evolução.

terça-feira, 26 de junho de 2012

Mahatma Gandhi


Hoje vou escrever sobre um “Pequeno Grande Homem” cuja história de vida me causa admiração. Mahatma Gandhi - pelos ensinamentos que deixou para a posteridade, a conquista da liberdade iniciada pela sua luta silenciosa, a desobediência civil foi o mínimo. Para quem tiver a oportunidade de ler algo sobre esta "grande alma", leia, pois valerá a pena.


Mahatma Gandhi (1869 – 1948)

Mahatma significa " A Grande Alma " 

Nonviolence is the greatest force at the disposal of mankind. It is mightier than the mightiest weapon of destruction devised by the ingenuity of man."

"A não violência é a maior força à disposição da Humanidade. Ela é mais poderosa que a mais poderosa das armas de destruição concebida pela ingenuidade do Homem."

Churchill costumava chamá-lo de "faquir despido". Einstein era um de seus maiores admiradores. Martin Luther King inspirou-se nele. Mahatma Gandhi é um dos grandes homens do século XX.

Em 2 de Outubro de 1869, nascia Mohandas Karamchand Gandhi, em Kathiawar, estado de Porbunder, na Índia, líder pacifista da humanidade e principal personalidade da independência desse país. Mais novo dos três filhos de Karamchand Gandhi (Kaba Gandhi) e sua esposa Putlibai. Kaba Gandhi foi primeiro ministro nos estados de Porbunder, Rajkot e Vankaner.


Em 1883, com apenas treze anos, contraiu matrimônio com a Sra. Kasturbai Makanji, que também contava com treze anos a época.

Formou-se em direito em Londres e, em 1891, voltou para a Índia a fim de praticar a advocacia.

Dois anos depois, vai para a África do Sul, também colônia britânica, onde inicia o movimento pacifista, lutando pelos direitos dos hindus.

Volta à Índia em 1914 e difunde seu movimento, cujo método principal é a resistência passiva. Nega colaboração com o domínio britânico e prega a não violência como forma de luta.

Em 1922, organiza uma greve contra o aumento de impostos, na qual uma multidão queima um posto policial.

Detido, declara-se culpado e é condenado à seis anos, mas sai da prisão em 1924.

Em 1930, lidera marcha para o mar, quando milhares de pessoas andam mais de 320 quilômetros a pé, para protestar contra os impostos sobre o sal.


Visitando a Inglaterra 

O domínio colonial britânico durou mais de duzentos anos. Os indianos eram considerados cidadãos de segunda classe.

Em 1930, Gandhi viaja a Londres para pedir que a Inglaterra conceda independência à Índia. Lá, visita bairros operários.

"Sei que guardarei para sempre, em meu coração, a lembrança da acolhida que recebi do povo pobre de East London", diz Gandhi.

Ao retornar à Índia, é recebido em triunfo por milhares de pessoas, ainda que nada de muito significativo tenha resultado da viagem.

Gandhi anuncia à multidão que pretende continuar em sua campanha pela desobediência civil, para obrigar a Inglaterra a dar a independência à Índia. Os britânicos, outra vez, o mandam para a prisão.

Em 1942 o governo inglês manda para Nova Delhi Sir Stafford Cripps, com a missão de negociar com Gandhi. As propostas que Sir Cripps traz são inaceitáveis para Gandhi, que deseja independência total. Gandhi retoma a campanha pela desobediência civil. Desta vez é preso e condenado a dois anos de cadeia.


Quando Lord Louis Mountbatten torna-se vice-rei, aproxima-se de Gandhi e nasce, entre Gandhi, Lord e Lady Mountbatten, uma grande amizade.

Em 1947, é proclamada a independência da Índia, mas no verão desse mesmo ano, a hostilidade entre hindus e muçulmanos atinge o auge do fanatismo. Nas ruas há milhares de cadáveres. Os muçulmanos reivindicam um Estado independente, o Paquistão. Gandhi tenta restabelecer a paz e evitar a luta entre hindus e muçulmanos, aceitando a divisão do país e dando início a uma décima-quinta greve de fome. O sacrifício pessoal de Gandhi e sua firmeza conseguem o que nem os políticos nem o exército conseguiram: a Índia conquista sua independência e é criado o Estado muçulmano do Paquistão. A divisão atrai para ele o ódio dos nacioinalistas hindus.

Gandhi morre em 30 de janeiro de 1948, assassinado por um hindu. Estava com 78 anos. Lord e Lady Mountbatten, ao lado de um milhão de indianos, comparecem ao funeral. Parte de suas cinzas são lançadas às águas sagradas do Rio Jumna.

Em janeiro de 1996, parte das cinzas de Mahatma Gandhi é lançada no Rio Ganges, na cidade de Allahabad, local sagrado para os hinduístas. A cerimônia acontece no 49º aniversário de morte do líder pacifista.

Gandhi foi um pacifista convicto e sempre pregou uma doutrina de não-violência. Desejava que a paz reinasse entre hindus e muçulmanos; entre indianos e ingleses e entre toda a humanidade, por isso e muito mais, o "Mahatma Gandhi" permanecerá, para sempre, como símbolo da resistência pela NÃO-VIOLÊNCIA.

Mohandas Karamchand Gandhi, o conhecido "Mahatma" (A Grande Alma) estará para sempre, sem dúvida alguma, por suas palavras e atitudes, entre os homens que mais enobreceram a raça humana.


Pensamentos de Mahatma Gandhi

"O desejo sincero e profundo do coração é sempre realizado; em minha própria vida tenho sempre verificado a certeza disto." 

"Creio poder afirmar, sem arrogância e com a devida humildade, que a minha mensagem e os meus métodos são válidos, em sua essência, para todo o mundo." 

"Acho que vai certo método através das minhas incoerências. Creio que há uma coerência que passa por todas as minhas incoerências, assim como há na natureza uma unidade que permeia as aparentes diversidades." 

"As enfermidades são os resultados, não só dos nossos atos, como também dos nossos pensamentos." 

"Satyagraha - a força do espírito - não depende do número, depende do grau de firmeza." 

"Satyagraha e Ahimsa são como duas faces da mesma medalha, ou melhor, como as duas cades de um pequeno disco de metal liso e sem incisões. Quem poderá dizer qual é a certa? A não-violência é o meio. A Verdade, o fim." 

"A minha vida é um Todo indivisível, e todos os meus atos convergem uns nos outros; e todos eles nascem do insaciável amor que tenho para com toda a humanidade." 

"Uma coisa lançou profundas raízes em mim: a convicção de que a moral é o fundamento das coisas, e a verdade, a substância de qualquer moral. A verdade tornou-se meu único objetivo. Ganhou importância a cada dia. E também a minha definição dela se foi constantemente ampliando." 

"Minha devoção à verdade empurrou-me para a política; e posso dizer, sem a mínima hesitação, e também com toda a humildade que, não entendem nada de religião aqueles que afirmam que ela nada tem a ver com a política." 

"A minha preocupação não está em ser coerente com as minhas afirmações anteriores sobre determinado problema, mas em ser coerente com a verdade." 

"O erro não se torna verdade por se difundir e multiplicar facilmente. Do mesmo modo, a verdade não se torna erro pelo fato de ninguém a ver."


"O amor é a força mais abstrata, e também a mais potente, que há no mundo." 

"O Amor e a verdade estão tão unidos entre si que é praticamente impossível separá-los. São como duas faces da mesma medalha." 

"O ahimsa (amor) não é somente um estado negativo que consiste em não fazer o mal, mas também um estado positivo que consiste em amar, em fazer o bem a todos, inclusive a quem faz o mal." 

"O ahimsa não é coisa tão fácil. É mais fácil dançar sobre uma corda que sobre o fio da ahimsa." 

"Só podemos vencer o adversário com o amor, nunca com o ódio." 

"A única maneira de castigar quem se ama é sofrer em seu lugar." 

"É o sofrimento, e só o sofrimento, que abre no homem a compreensão interior." 

"Unir a mais firme resistência ao mal com a maior benevolência para com o malfeitor. Não existe outro modo de purificar o mundo." 

"A minha natural inclinação para cuidar dos doentes transformou-se aos poucos em paixão; a tal ponto que muitas vezes fui obrigado a descuidar o meu trabalho. . ." 

"A não-violência é a mais alta qualidade de oração. A riqueza não pode consegui-la, a cólera foge dela, o orgulho devora-a, a gula e a luxúria ofuscam-na, a mentira a esvazia, toda a pressão não justificada a compromete." 

"Não-violência não quer dizer renúncia a toda forma de luta contra o mal. Pelo contrário. A não-violência, pelo menos como eu a concebo, é uma luta ainda mais ativa e real que a própria lei do talião - mas em plano moral." 

"A não-violência não pode ser definida como um método passivo ou inativo. É um movimento bem mais ativo que outros que exigem o uso das armas. A verdade e a não-violência são, talvez, as forças mais ativas de que o mundo dispõe." 

"Para tornar-se verdadeira força, a não-violência deve nascer do espírito." 

"Creio que a não-violência seja infinitamente superior à violência, e que o perdão seja bem mais viril que o castigo..." 

"A não-violência, em sua concepção dinâmica, significa sofrimento consciente. Não quer absolutamente dizer submissão humilde à vontade do malfeitor, mas um empenho, com todo o ânimo, contra o tirano. Assim, um só indivíduo, tendo como base esta lei, pode desafiar os poderes de um império injusto para salvar a própria honra, a própria religião, a própria alma e adiantar as premissas para a queda e a regeneração desse mesmo império."


O método da não-violência pode parecer demorado, muito demorado, mas eu estou convencido de que é o mais rápido." 

"Após meio século de experiência, sei que a humanidade não pode ser libertada senão pela não-violência. Se bem entendi, é esta a lição central do cristianismo." 

"Só se adquire perfeita saúde vivendo na obediência às leis da Natureza. A verdadeira felicidade é impossível sem a verdadeira saúde, e a verdadeira saúde é impossível sem rigoroso controle da gula. Todos os demais sentidos estarão automaticamente sujeitos a controle quando a gula estiver sob controle. Aquele que domina os próprios sentidos conquistou o mundo inteiro e tornou-se parte harmoniosa da natureza." 

"A civilização, no sentido real da palavra, não consiste na multiplicação, mas na vontade de espontânea limitação das necessidades. Só essa espontânea limitação acarreta a felicidade e a verdadeira satisfação. E aumenta a capacidade de servir." 

"É injusto e imoral tentar fugir às conseqüências dos próprios atos. É justo que a pessoa que come em demasia se sinta mal ou jejue. É injusto que quem cede aos próprios apetites fuja às conseqüências, tomando tônicos ou outros remédios. É ainda mais injusto que uma pessoa ceda às próprias paixões animalescas e fuja às conseqüências dos próprios atos." 

"A Natureza é inexorável, e vingar-se-á completamente de uma tal violação de suas leis." 

"Aprendi, graças a uma amarga experiência, a única suprema lição: controlar a ira. E do mesmo modo que o calor conservado se transforma em energia, assim a nossa ira controlada pode transformar-se em uma função capaz de mover o mundo. Não é que eu não me ire ou perca o controle. O que eu não dou é campo à ira. Cultivo a paciência e a mansidão e, de uma maneira geral, consigo. Mas quando a ira me assalta, limito-me a controlá-la. Como consigo? É um hábito que cada um deve adquirir e cultivar com uma prática assídua." 

"O silêncio já se tornou para mim uma necessidade física espiritual. Inicialmente escolhi-o para aliviar-me da depressão. A seguir precisei de tempo para escrever. Após havê-lo praticado por certo tempo descobri, todavia, seu valor espiritual. E, de repente, dei conta de que eram esses momentos em que melhor podia comunicar-me com Deus. Agora, sinto-me como se tivesse sido feito para o silêncio." 

"Aqueles que têm um grande autocontrole, ou que estão totalmente absortos no trabalho, falam pouco. Palavra e ação juntas não andam bem. Repare na natureza: trabalha continuamente, mas em silêncio." 

"Aquele que não é capaz de governar a si mesmo, não será capaz de governar os outros."
"Quem sabe concentrar-se numa coisa e insistir nela como único objetivo, obtém, ao cabo, a capacidade de fazer qualquer coisa." 

"A verdadeira educação consiste em pôr a descoberto ou fazer atualizar o melhor de uma pessoa. Que livro melhor que o livro da humanidade ?"
"Não quero que minha casa seja cercada por muros de todos os lados e que as minhas janelas esteja tapadas. Quero que as culturas de todos os povos andem pela minha casa com o máximo de liberdade possível." 

"Nada mais longe do meu pensamento que a idéia de fechar-me e erguer barreiras. Mas afirmo, com todo respeito, que o apreço pelas demais culturas pode convenientemente seguir, e nunca anteceder, o apreço e a assimilação da nossa. (...) Um aprendizado acadêmico, não baseado na prática, é como um cadáver embalsamado, talvez para ser visto, mas que não inspira nem nobilita nada. A minha religião proíbe-me de diminuir ou desprezar as outras culturas, e insiste, sob pena de suicídio civil, na necessidade de assimilar e viver a vida." 

"Ler e escrever, por si, não são educação. Eu iniciaria a educação da criança, portanto, ensinando-lhe um trabalho manual útil, e colocando-a em grau de produzir desde o momento em que começa sua educação. Desse modo, todas as escolas poderiam tornar-se auto-suficientes, com a condição de o Estado comprar os manufaturados."
"Acredito que um tal sistema educativo permitira o mais alto desenvolvimento da mente e da alma. É preciso, porém, que o trabalho manual não seja ensinado apenas mecanicamente, como se faz hoje, mas cientificamente, isto é, a criança deveria saber o porquê e o como de cada operação." 

"Os olhos, os ouvidos e a língua vêm antes da mão. Ler vem antes de escrever e desenhar antes de traçar as letras do alfabeto." 

"Se seguirmos este método, a compreensão das crianças terá a oportunidade de se desenvolver melhor do que quando é freada, iniciando-se a instrução pelo alfabeto."
"Odeio o privilégio e o monopólio. Para mim, tudo o que não pode ser dividido com as multidões é 'tabu'." 

"A desobediência civil é um direito intrínseco do cidadão. Não ouse renunciar, se não quer deixar de ser homem. A desobediência civil nunca é seguida pela anarquia. Só a desobediência criminal deve ser reprimida com a força. Reprimir a desobediência civil é tentar encarcerar a consciência." 


Sobre a Revolução Não Violenta de Mahatma Gandhi

" Gandhi continua o que o Buddha começou. Em Buddha o espírito é o jogo do amor isto é, a tarefa de criar condições espirituais diferentes no mundo; Gandhi dedica-se a transformar as condições existenciais" (Albert Schweitzer)

" Não violência é a lei de nossa espécie, assim como a violência é a lei do bruto. O espírito, dormente no bruto, não sabe nenhuma lei que não a do poder físico. A dignidade de homem requer obediência a uma lei mais alta - a força do espírito ".
(Mahatma Gandhi)

" Se o homem perceber que é desumano obedecer a leis que são injustas, a tirania de nenhum homem o escravizará".
(Mahatma Gandhi)

"Não pode haver nenhuma paz interior sem o verdadeiro conhecimento ".
(Mahatma Gandhi)

"Para a autodefesa, eu restabeleceria a cultura espiritual. A melhor autodefesa, e a mais duradoura, é a autopurificação ".
(Mahatma Gandhi)


Contos de Gandhi

Certa vez, uma jovem indiana, desejando que seu filho tivesse saúde invejável, decidiu que seria importante para ele deixar de comer açúcar. Acreditava que o açúcar era um produto que agredia o organismo. Afinal, ele possibilitava o aparecimento de cáries, além de ser um produto que facultaria à criança uns quilos a mais. Por largo tempo ela falou ao filho para deixar de consumir o produto. Mas, a criança adorava açúcar e não o dispensava, deliciando-se com os doces mais variados. Finalmente, a mãe procurou o Mahatma Gandhi e contou seu problema, pedindo que ele, com sua grande autoridade, falasse ao filho. Com certeza, ele seria ouvido e atendido pelo menino. O sábio não afirmou que ela estava certa, nem errada. Contudo, pediu-lhe um prazo de 15 dias. Decorrido o tempo, ela deveria retornar com o filho até ele.

A mulher se foi, com a alma embalada pelas mais suaves esperanças. Os dias demoraram a passar. Até que chegou o dia marcado para pôr fim à ansiedade da indiana. Ela tomou o filho pela mão e o levou até a presença de Gandhi, que se demorou a falar com o garoto, por mais de uma hora. Terminado o diálogo, Gandhi se despediu do pequeno e devolveu-o à sua mãe. A mulher estava muito curiosa. E, assim que pôde, perguntou ao Mahatma porque ele a fez esperar quinze dias, para só depois conversar com a criança: “É muito simples”, respondeu Gandhi. “Há quinze dias eu também consumia açúcar e precisava do prazo para abandonar o hábito, pois se não o fizesse, não teria autoridade moral para lhe pedir que o evitasse.”

A utilização ou não do açúcar na dieta alimentar não é o mais importante. No caso em pauta, o que se deve levar em conta é o fator exemplo.

O ilustre Gandhi não se sentia à vontade para pedir a uma criança que deixasse de fazer alguma coisa, se ele mesmo ainda a fazia. Não desconhecia ele que, enquanto as palavras comovem multidões, o exemplo as arrasta.

Pensemos em quantas vezes temos tentado modificar os hábitos dos outros, utilizando-nos simplesmente das recomendações ponderadas, sem nos prendermos ao fato de que não estamos exemplificando corretamente. Assim é no que diz respeito ao uso de drogas como o fumo e o álcool, que afirmamos que agridem e matam, que seu uso é maléfico, sem deixarmos, nós mesmos, do velho cigarro e dos aperitivos de vez em quando. Assim é, ainda, com relação à frequência no templo religioso, nas aulas específicas de evangelização, quando dizemos aos filhos que são importantes, edificantes. Mas, nós mesmos sequer comparecemos ao templo para o estudo e a oração.

Dizer e fazer. Duas ações importantes. A segunda, com certeza, de peso seguro para a educação mais acertada. “Quando eu for incapaz de praticar o mal, quando nenhuma palavra áspera ou arrogante abalar, por um momento sequer, o meu mundo mental, só então, e não antes, a minha não-violência conquistará o coração de todos.”

A frase acima traduz bem a essência do maior líder político que a Índia já teve, Mahatma Gandhi, que pregava a resistência pacífica, dentro do conceito da não-violência (Ahimsa) e da ‘filosofia’ da firmeza da verdade (Satyagraha), ou seja, buscar a verdade com firmeza num propósito justo.

O termo Satyagraha ficou mais conhecido no Brasil recentemente, quando a Polícia Federal resolveu dar este nome à sua operação que investigava as falcatruas do banqueiro Daniel Dantas e sua coorte. É claro que aqui esse negócio de ‘buscar a verdade com firmeza num propósito justo’ nunca funciona muito bem. Quando há firmeza, não há verdade. Quando há verdade, não há justiça.


ORAÇÃO DE MAHATMA GANDHI

"Senhora, Ajuda-me a dizer a verdade diante dos fortes e a não dizer mentiras para ganhar o aplauso dos fracos. Se me das fortuna, não me tires a razão. Se me das o sucesso, não me tires a humildade. Se me das humildade, não me tires a dignidade. Ajuda-me a enxergar o outro lado da moeda, não me deixes acusar o outro por traição aos demais, apenas por não pensar igual a mim. Ensina-me a amar aos outros como a mim mesmo. Não deixes que me torne orgulhoso se triunfo, nem cair em desespero se fracasso. Mas recorda-me que o fracasso é a experiência que precede ao triunfo. Ensina-me que perdoar é um sinal de grandeza e que a vingança é um sinal de baixeza. Se não me deres o êxito, da-me forças para aprender com o fracasso. Se eu ofender ás pessoas, da-me coragem para desculpar-me e se as pessoas me ofenderem, da- me grandeza para perdoa-las. Senhora, se eu me esquecer de ti, nunca te esqueças de mim"


"SE TODOS FOSSEM IGUAIS A VOCÊ"

O ESPELHO DE GANDHI

Perguntaram a Mahatma Gandhi quais são os fatores que destroem os seres humanos. Ele respondeu:
A Política, sem princípios; o Prazer, sem compromisso; a Riqueza, sem trabalho; a Sabedoria, sem caráter; os negócios, sem moral; a Ciência, sem humanidade; a Oração, sem caridade.

A vida me ensinou que as pessoas são amigáveis, se eu sou amável,
que as pessoas são tristes, se estou triste,
que todos me querem, se eu os quero,
que todos são ruins, se eu os odeio,
que há rostos sorridentes, se eu lhes sorrio,
que há faces amargas, se eu sou amargo,
que o mundo está feliz, se eu estou feliz,
que as pessoas ficam com raiva quando eu estou com raiva,
que as pessoas são gratas, se eu sou grato.

A vida é como um espelho: se você sorri para o espelho, ele sorri de volta.

A atitude que eu tome perante a vida é a mesma que a vida vai tomar perante mim.

"Quem quer ser amado, ame"


GANDHI E O VIAJANTE - para reflexão
Conta-se que Gandhi, sempre que viajava de trem pela Índia, comprava passagem de terceira classe. Ali os passageiros, não cultivavam hábitos de higiene, nem de boas maneiras.
Certa ocasião, quando empreendia uma das suas viagens, ele chamou a atenção de um rapaz que viajava junto a ele no mesmo vagão, porque de quando em quando cuspia no chão. Diante da advertência recebida, o moço respondeu indelicadamente e repetiu várias outras vezes o gesto. Gandhi calou-se.

Depois de um bom tempo de viagem, o rapaz pegou no seu violão, e começou a tocar e cantar músicas que exaltavam o grande líder e herói GANDHI.

Quando, finalmente, o trem parou na estação desejada, Gandhi levantou-se preparando-se para descer. O jovem, que também ficaria ali, juntou suas coisas para sair. Na estação, ele percebeu que alguém de certa importância e grande respeito estaria chegando, porque havia uma enorme recepção organizada com músicas instrumentais, fogos de artifício e discurso. Parou para ver . . . Era Gandhi quem chegava . . .

Ele então, juntou-se a multidão para recepcionar o ídolo. Só quando avistou o homenageado, é que se deu conta que o passageiro a quem havia respondido de maneira tão descortês e insolente, era exatamente aquele que havia enaltecido com tanta veemência através das suas canções. Ele não conhecia Gandhi, mas certamente entendeu que para ele, de nada significaram suas músicas e cântico.

Essa experiência pode muito bem ser aplicada em relação a Deusa.

Pois, muitos procuram apresentar-Lhe honra e louvor superficiais, “honram-Lhe com os lábios; e o coração, porém, está longe Dela.”


Em meu pensamento a vida de um cordeiro não é menos importante do que a vida de um ser humano

A felicidade não está em viver, mas em saber viver. Não vive mais o que mais vive, mas o que melhor vive, porque a vida não mede o tempo, mas o emprego que dela fazemos

A grandeza de uma nação pode ser julgada pelo modo que seus animais são tratados

O meu patriotismo não é exclusivo. Engloba tudo. Eu repudiaria o patriotismo que procurasse apoio na miséria ou na exploração de outras nações. O patriotismo que eu concebo não vale nada se não se conciliar sempre, sem exceções, com o maior bem e a paz de toda a humanidade

As doenças são os resultados não só dos nossos atos, mas também dos nossos pensamentos

A Terra provê o suficiente para satisfazer as necessidades de todos os homens, mas não sua ganância

A nossa felicidade vem quando nos comprazemos em reduzir o máximo possível nossas necessidades

Nunca perca a fé na humanidade, pois ela é como um oceano. Só porque existem algumas gotas de água suja nele, não quer dizer que ele esteja sujo por completo

Se queremos progredir não devemos repetir a história, mas fazer uma nova

"Só quando se vêem os próprios erros através de uma lente de aumento,
e se faz exatamente o contrário com os erros dos outros,
é que se pode chegar à justa avaliação de uns e de outros.”
(Mahatma Gandhi)


SE EU PUDESSE...

Se eu pudesse deixar algum presente a você,
deixaria aceso o sentimento de amar
a vida dos seres humanos.
A consciência de aprender tudo
o que foi ensinado pelo tempo a fora.
Lembraria os erros que foram cometidos
para que não mais se repetissem.
A capacidade de escolher novos rumos.
Deixaria para você se pudesse,
o respeito àquilo que é indispensável:
Além do pão, o trabalho.
Além do trabalho, a ação.
E, quando tudo mais faltasse, um segredo:
O de buscar no interior de si mesmo
a resposta e a força para encontrar a saída.

(Mahatma Gandhi)


Termino este textos com as palavras de Gandhi sobre Religião

“Os templos, as igrejas e centros espíritas estão lotados, mas poucos, muito poucos, compreendem e praticam o que se estuda e se ouve, enquanto fora dos círculos religiosos encontramos muitas almas que praticam a reforma íntima trabalhando anonimamente pelo bem e pela caridade.”

Observação: Podemos seguir qualquer religião e seus cultos exteriores, mas não nos esqueçamos da reforma íntima, educando nossos instintos inferiores, e revendo nossos valores.

As religiões são caminhos diferentes convergindo para o mesmo ponto. Que importância faz se seguimos por caminhos diferentes, desde que alcancemos o mesmo objetivo?

A regra de ouro consiste em sermos amigos do mundo e em considerarmos como uma toda a família humana. Quem faz distinção entre os fiéis da própria religião e os de outra, deseduca os membros da sua religião e abre caminho para o abandono, a irreligião.




Ilha Skellig Michael - Uma ilha...um mosteiro...uma história!

Ring of Kerry, na Irlanda, é para lá de mágico! Sua beleza escarpada e verdejante é pontilhada de paisagens incríveis, círculos de pedra e uma infinidade de locais neolíticos potentes. Mas Skellig Michael, a ilha mística e monástica, assim chamada em homenagem ao Arcanjo Miguel, é inegavelmente o "Senhor do Anel".

A pequena ilha angulosa de Skellig Michael é o ponto no plano terreno em que muitos sustentam que a renomada linha ley Miguel entra em Gaia. Nesta ilha piramidal, a linha ley Miguel começa sua trilha sagrada através da Grã-bretanha e Europa, terminando no Monte Carmelo, na Terra Santa de Israel.

Ela está situada a 12 km da costa sudoeste da Irlanda. Por 600 anos ela foi o centro da vida solitária de monges cristãos irlandeses.

Traduzido da língua irlandesa Skellig Michael significa "A Rocha de Michael", que se constitui numa ilha rochosa íngreme onde no seu ponto mais alto, a uma altitude de 230 metros, existe até hoje um antigo mosteiro fundado no século 7 por monges cristãos. Por mais de 500 anos eles viveram na ilha em celas de pedra, situadas ao longo das paredes verticais da rocha, totalmente isolados do mundo exterior. O único problema eram o Vikings, que de vez em quando invadiam o mosteiro.



Assim como o seu corpo humano tem sistemas sensoriais e órgãos que mantêm a saúde do corpo físico, o mesmo acontece com as linhas ley. As linhas ley mantêm a saúde da Terra física. Agora, acima dos órgãos do corpo, vocês têm linhas de meridianos que secionam o corpo e, ao fazerem isto, contribuem para o bem-estar do ser, que então transmite essa energia em diferentes formas, alimentando os órgãos, alimentando os sentidos e a consciência. Da mesma forma que o seu corpo humano passa por mudanças, assim também a Terra se diversifica e muda. O sistema de linhas ley muda e se adapta em características. Dizemos-lhes que, com a anunciada Ascensão planetária já em curso, e a chegada da "formatura" da Terra, não só o sistema de sensitividade da Terra, mas também o do ser humano vão se ajustar.

Cada um de vocês carrega em seu campo a energia de cada lugar sagrado, de cada ponto de força e de cada ponto da grade em cada continente que visitou. E vocês têm a capacidade de conectar essas energias a si mesmos e uns aos outros, queridos. Aqueles de vocês chamados Guardiões da Terra, como este canal, que foram levados a visitar tais lugares, podem se visualizar conectando-os com a Grade 144, e desta forma ajudar a conectá-los com a grade em evolução.

Houve sabedoria Divina na mudança de nome! Quantas Catedrais Cristãs, construídas com pura geometria sagrada exatamente sobre os vetores e pontos de alinhamento cósmico desta corrente transcendental, teriam sido construídas desta forma, se essa linha ley fosse considerada pagã? Com certeza a igreja controladora teria proibido isto. E agora, apesar do seu controle, existem templos incríveis nos locais perfeitos para amplificar as energias de dimensões superiores, energias que não são presas a nenhum dogma religioso, a não ser ao puro Amor celestial. na verdade havia muitos tipos de sistemas de linhas ley na Atlântida. Alguns eram totalmente utilizados para força cristal-elétrica de várias formas; outros – aqueles que ainda funcionam, embora em fragmentos – eram as linhas ley de consciência divina.



Realmente, os sobreviventes mais resistentes deste sistema são as linhas ley hoje conhecidas como as linhas de Miguel e de Maria. Na verdade, o fato de se manterem assim intactas deve-se, em grande parte, ao trabalho dos Druidas que fugiram da Atlântida, antes da sua extinção, indo para mosteiros existentes na Grã-Bretanha, Europa, Egito e Og. As mais prolíficas foram as seitas da Grã-Bretanha e da França, que usavam aspectos antigravitacionais das linhas ley e som para ajudar na formação de círculos de pedras.

Na verdade havia muitos tipos de sistemas de linhas ley na Atlântida. Alguns eram totalmente utilizados para força cristal-elétrica de várias formas; outros – aqueles que ainda funcionam, embora em fragmentos – eram as linhas ley de consciência divina.


Realmente, os sobreviventes mais resistentes deste sistema são as linhas ley hoje conhecidas como as linhas de Miguel e de Maria. Na verdade, o fato de se manterem assim intactas deve-se, em grande parte, ao trabalho dos Druidas que fugiram da Atlântida, antes da sua extinção, indo para mosteiros existentes na Grã-Bretanha, Europa, Egito e Og. As mais prolíficas foram as seitas da Grã-Bretanha e da França, que usavam aspectos antigravitacionais das linhas ley e som para ajudar na formação de círculos de pedras.

Contam os historiadores que a ilha foi habitada até o século 12, quando a deterioração das condições climáticas causaram frequentes furacões e tempestades que forçaram a comunidade de monges se deslocar para o continente. No entanto, a presença esporádica de monges continuava e as células foram mantidas em bom estado até o século 16. Embora o mosteiro tecnicamente já não mais existia, o local continuou a ser um centro de peregrinação.A ilha também era popular entre os jovens casais. Num momento da história em que o casamento cristão foi proibido no continente irlandês, eles se casavam emSkellig Michael. 



Em 1826 a ilha foi entregue à gestão do Departamento Nacional de Vigilância Marítima, com sede em Dublin. Além de conservar o mosteiro uma das iniciativas foi a construção de dois faróis, um dos quais ainda utilizado até hoje. Em 1996 Skellig Michael se juntou à lista da UNESCO e passou a ter conservação mundial.

Este é um lugar Sagrado. Um lugar que respira Magia. Vejam algumas fotos.











sábado, 23 de junho de 2012

A conduta de Um ser Encantada(o) Chamado Bruxa(o)


A palavra encantamento é muito ampla e existe em todas as religiões, sem exceção.

O fato é que a magia se manifesta de diferentes formas para cada pessoa e é preciso encontrar o seu próprio ritmo e o seu próprio caminho. A magia não admite que você imponha aquilo que você sente ou pensa ao outro. É preciso entender as escolhas alheias e fundamentalmente é preciso permitir que o outro caminhe.

A bruxa é um ser livre manipuladora da natureza, a qual a própria história e dogmas a fizeram a vilã, muitas “santas” Inquisições as interpretaram como um elemento demoníaco ou uma ameaça aos cofres religiosos. No conceito padrão, elas foram confundidas, ameaçadas e destruídas. A mentalidade ao povo daquela época não puderam assimilar a evolução e ligação da mulher com a natureza, as quais ambas se manipulam.



Ser uma Bruxa é o caminho da busca pelo equilíbrio; É ter o dom de dar a luz a uma nova vida, ver no brilho dos olhos dela, os de um antepassado; rasgar o véu, e voltar ao ventre da mãe; ter uma conversa única com seu anjo; ver as coisas mais simples da vida que habita na felicidade; carregar consigo a responsabilidade de passar os ensinamentos de nossos antepassados que foram das ervas e da Lua; ser forte, e vencer o preconceito e as fogueiras das zombarias e do isolamento social; não temer o desconhecido e penetrar na escuridão buscando por luz; ser capaz de admitir que pode necessitar de ajuda e que pode ajudar. Nós tecemos a teia Da vida e da morte; É descobrir os segredos de nossa alma, traduzi-los em gestos de carinho com a natureza e o próximo; É usar a chama da sede de conhecimento no caminho a trilhar; É entender a linguagem da lua, das estrelas, do som, das plantas, dos ventos, dos mares e do fogo; É comemorar cada passagem das estações com alegria e saber aproveitar a energia que ela trás.



Para sanar todas as nossas necessidades, a busca do auto-conhecimento se faz necessário, somando com o cultivo sábio de seus estudos.

Caminhar com conduta mágica, é repeitar todas as direções, e seguir seu caminho escolhido com muito fervor.

Como seria bom se tivéssemos um mapa, se caso nos perdêssemos, mas como não o temos, será necessário obtermos da humildade de regressar dos atalhos que não nos fazem crescer, e a sabedoria para entendermos que cada um tem seu próprio caminho a seguir.

O conhecimento da Bruxaria real é um processo contínuo de estudo, e jamais será compreendida por aqueles que se limitam a repetir sem vivenciar, sem compreender, sem interiorizar, presos a conceitos ligados a dogmas ou concepções obsoletas, condicionadas pela formação imposta pelo poder patriarcal.

É tão simples a concepção real da Bruxaria, da fé e da devoção aos Deuses, que em uma só palavra poderíamos sintetizar: essa palavra é CONDUTA.

A Bruxaria desde os tempos mais remotos da humanidade se desdobrou, se estabilizou a partir da conduta dos seus praticantes.

Ter atitude positiva nos momentos de oferecer soluções aos que te procuram.
O foco em um bom caminhar toma tempo, pede envolvimento, atenção e dedicação.

A vida desenrola-se, por vezes, tão mecanicamente e pautada por uma rotina tão notória, que sentimos necessidade de experimentar momentos de solidão e de reflexão, para que seja possível um encontro conosco próprios.



Alguém que tem como base trazer os antigos costumes, não é apenas um tradicionalista, é também um artista onde em cada pincelada uma imagem vai se mostrando, onde no final desta esta um retrato do próprio artista e com este um valor imensurável de concretização pessoal, de magia e auto-entendimento. Tradição é o caminho do meu ancestral, dos amigos que prezam a amizade com o próprio sangue, aqueles que fizeram do passado a origem do presente numa infinita parte e por menor que seja fazem parte do meu gene.

Criou-se uma mentalidade nova, que dia a dia mais se expande, que em Bruxaria tudo pode-se por ser uma religião sem dogmas. Absurdo e incompreensível, desde que, ao se tornar detentores de habilidades mágicas, da abertura de canais com as forças naturais, e do conhecimento das leis do universo, estabelece - se a responsabilidade com as ações, atos e pensamentos. Caso contrario, veremos institucionalizar-se uma religião de caos e não de preservação e acolhimento das obras da Grande Mãe.

A vida ordenada de cada Bruxa, é o reflexo do seu sentir, do seu compromisso com a natureza em toda a sua manifestação. Do seu estado de reflexão para com a condução dos ensinamentos. É pois, sob uma norma de CONDUTA bem definida, moderadamente conduzida, que a Bruxa destes novos tempos poderá se fazer respeitar e receber o devido respeito a sua religião.

Para impor – se na luta pela magnitude da Arte, da Antiga religião, à consideração e ao respeito de todos, é prioritário a união de todos os seguimentos da Arte, principalmente para aqueles que se posicionaram como facilitadores do caminho. Aqueles que a vida colocou a frente de grupos, condutores dos que despertam para a Deusa. Cabendo a esses, o especial cuidado com a condução, de forma límpida, verdadeira e sincera. Sem estabelecer a posição de mestre, de líder espiritual, pois sabemos que na Bruxaria, como em qualquer seguimento da vida, “O Mestre morre aprendendo”.



A verdadeira Bruxa precisa estar sempre alerta e vigilante, consciente de que é uma força que trabalha incessantemente, vibrando, atraindo e repelindo energias constantes. Correntes favoráveis e desfavoráveis ao seu progresso e ao seu bem estar. Que as forças invocadas e ativadas enchem o espaço, cruzando-se em todas as direções quotidianamente. Daí, a necessidade do domínio próprio, para não se deixar influenciar pelas irradiações adversas, procedendo unicamente, de acordo com a sua vontade.

A sensibilidade é a faculdade de que dispõe a Bruxa para sentir as correntes vibratórias do meio ambiente e, por trás do invólucro das aparências, a verdade. A sensibilidade é a faculdade de que dispõe a Bruxa para sentir as correntes vibratórias do meio ambiente e, por trás do invólucro das aparências, a verdade.

É pela sensibilidade que se percebe o sentimento afim, que congrega, que une, que irmana os bruxos de idênticos ideais e de iguais aspirações.

É a sensibilidade ainda o maior instrumento da Bruxa. Com ela trabalha – se a alegria e a dor. Dor que na maioria das vezes faz a Bruxa desatenta e indiferente transgredir a lei do acolhimento e concentrar-se em si mesma, permitindo que o ego se sobreponha.
A firmeza de caráter, como tantas outras faculdades, patenteia a evolução espiritual da Bruxa.



Como resultante de uma combinação harmônica, dentro da conduta trabalhada, e os atributos compatíveis com a Bruxaria, a Antiga Religião tende a se restabelecer de forma segura e memorável.

Os que possuem o Dom natural, dão sempre os melhores, os mais nobres, os mais admiráveis exemplos de retidão em todos os atos da vida e principalmente em relação a arte.
São inumeráveis os atributos da bruxa, que aumentam e se desdobram na razão direta do seu crescimento, como um ser evolucionário.

As nossas ancestrais foram trabalhadoras incansáveis. Os exemplos de dedicação a Arte demonstram com exatidão a fidelidade e a honradez que nos legaram, com a retidão determinada no cumprimento do dever para com os Deuses.

O aperfeiçoamento deve constituir a principal preocupação da Bruxa, em todos os ramos da sua atividade. Tendo sempre a necessidade de esmerar-se no desempenho das suas obrigações, procurando executar o trabalho com o devotamento de que for capaz..

Sonhar é receber mensagens. Sonhar é encontrar respostas. Sonhar é conversar com amigos de outros planos. Assim é o sonhar da bruxa: não um desligamento da realidade. Mas uma entrada num plano superior. A verdadeira bruxa aprende a controlar seus sonhos e a realizar viagens astrais, sendo capaz de visitar, em espírito, lugares distantes e desconhecidos.


Existe uma tradição de Bruxaria que tem como base, entre outros, os seguintes princípios:
O Templo é o Planeta Terra.

As técnicas de Magia utilizadas são as mais diversas.
Toda Bruxa tem o direito de ser como bem quiser.
Avaliam as pessoas pelo que elas são e fazem, e não pelo que elas acreditam.
O alicerce dessa crença é o respeito à diversidade.
O objetivo é melhorar nosso Eu.

No mundo mágico da Bruxaria, VOCÊ é a maior ferramenta mágica entre todas.
São suas intenções e energias que determinam os resultados de qualquer trabalho mágico.
Muitas Bruxas nunca usam qualquer tipo de instrumentos mágicos, mas sim apenas sua energia pessoal.

E alguns rituais mais poderosos podem ser feitos sem que você faça nenhum movimento físico.

Na verdade, há Bruxas e Magos que possuem um enfoque, uma concentração, intenções e desejos tão fortes, e que residem em seu interior.
São, na verdade, essas as ferramentas mais poderosas de uma Bruxa.

A concentração, as intenções, os verdadeiros desejos, e o foco da magia - São as ferramentas mais poderosas de uma Bruxa!

Se alguém perguntar quem sou, diga que sou a filha da noite, que fala de amor, que fala do vento e se esquece do tempo...


Se alguém perguntar onde vivo, diga que vivo nas brumas que sabe do amor que conhece o desejo e Sonha sem pudor...


Se alguém perguntar por onde eu ando, diga que ando pela noite, pela lua e que nela me perco, desapareço, esqueço...


E se alguém perguntar como sou, diga que sou louca, apaixonada, que ama a magia do se entregar por inteiro, sem limites, sem freios a magia da vida.
Se alguém perguntar meu nome, sou a bruxa


Selma - 3FASESDALUA

segunda-feira, 18 de junho de 2012

Julgar , quem tem este poder?


Ao pensar em uma bruxa, a pessoa logo lembra daquela senhora voando em uma vassoura... seria engraçado se não fosse tão sério. O que as pessoas deveriam lembrar é da velha Inquisição, onde vidas foram tomadas, até mesmo sem provar a culpa da vítima. Foi isto que uma mãe estava pensado no sábado passado ao chamar a sua filha de bruxa.

Bruxas nunca comprometem seus filhos com a sua fé particular, pois acreditam que cada um deve seguir o seu próprio caminho. As crianças sempre são ensinadas à honrar sua família, amigos, a ter integridade, honestidade, a tratar a Terra como sagrada e a amar e respeitar todas as formas de vida. O fanatismo é repudiado pelos pagãos, assim como o proselitismo é inadmissível. Acreditam e aceitam a Lei Tríplice, que determina que um ato sempre tem a resposta em efeito bumerangue. O que se faz retorna 3 vezes para o emissor, portanto tratam de gerar bons pensamentos e fazer todas as coisas sempre para o bem de todos os envolvidos. Respeito na mesma proporção não só a seres humanos, mas para a Terra, animais e plantas.



Ultimamente venho pensando na questão do julgamento. Citei em um post anterior a influência do julgamento alheio em nossas vidas , frisando inclusive a questão do poder que este julgamento que as pessoas fazem das nossas atitudes ou decisões, até onde podem interferir nas nossas vidas e nas nossas decisões.

O autoconhecimento é a verdadeira busca, em qualquer Ordem, Religião ou Doutrina. É o objetivo da Iniciação. O autoconhecimento leva à compreensão da Verdadeira Vontade, o que viemos fazer aqui na Terra

Fico pasma como o mundo é cheio de picuinhas!
Já me falaram do inferno, mas sei que ele realmente não existe, mas se existe com certeza já vivemos nele.
Palavras mal ditas, ações pretensiosas, egoísmo, orgulho...isso tudo rege o mundo.
Posso estar errada, mas do que adianta eu ficar com uma bíblia embaixo dos braços, ir a igreja todos os dias, se não consigo se quer dar uma palavra de consolo a quem precisa sem ter alguma pretensão com isso!
A cada dia que passa entendo que felizes são os animais que são mais racionais que muita gente que anda por ai.



A Sombra é a parte de nosso ser, que carrega tudo aquilo que nosso ser consciente despreza, teme e não aceita. É também referida como a Mente Profunda. A Sombra é poderosa, pode dominar os fracos, mas engrandecer os fortes. Precisamos estabelecer contato com ela, aceitá-la e incorporá-la em nossa personalidade, para sermos completos e estarmos prontos. Como hipocrisia não faz parte do meu perfil , não vou negar que é um porre ser alvo de comentários e julgamentos e não vamos mentir que no nosso atual estágio de evolução não possuimos a superioridade e a capacidade de transcender 100% a estas situações, porém, a questão é saber até que ponto as pessoas tem o poder de interferir em nossas vidas? Ou qual lição estamos extraindo disto? Errar faz parte do aprendizado e do crescimento , basta lembrar da época de escola quando estamos lá no comecinho de nosso aprendizado , quantos cálculos matemáticos não deram certo? quantas palavras não escrevemos errado? quanta pontuação ou erros gramaticais cometemos (no meu caso eu reconheço que cometo até hoje) , mas é parte do nosso aprendizado , se não errarmos não vamos aprender como fazer o certo. Certa vez ouvi de um grande amigo e terapeuta a seguinte pergunta: "se você errar , o mundo para por causa disto?" Logico que não , o mundo não para porque você errou , e se errou - procure acertar , ofendeu alguém - peça desculpas. Existem situações peculiares e mais complicadas aonde não podemos voltar atrás, mas mesmo assim , foi um momento de nossas vidas aonde erramos e teremos que arcar com a consequencia dos nossos erros, mas mesmo assim , parar , se afundar , ou outros tipos de idéias negativas não são a opção.


Outro ponto que devemos analisar é o fato de ninguém neste mundo ter o poder de julgar ninguém. Já diz muito bem a Pitty em sua música que é igualmente um ditado antigo "quem não tem teto de vidro que atire a primeira pedra" infelizmente , mesmo assim as pessoas atiram, mas não podemos mudar os outros , mas também analisar que a pessoa que nos julga com tanta dureza tem realmente a capacidade de nos julgar. A vida tem vários aspectos e ninguém é perfeito em todos, muitas vezes podemos ser bem sucedidos, corretos e disciplinados de um lado, mas mesmo assim, 100% ninguém é , de outro lado temos um monte de erros e desta maneira a vida segue.

O que quero dizer com tudo isto é que devemos impor um limite da interferência do julgamento alheio em nossas vidas , que essas forças negativas não nos impeçam de ser verdadeiros e espontaneos, que não apaguem a nossa essência e os nossos sonhos, que não sejamos pessoas moldadas pela sociedade e sim sejamos pessoas autênticas, verdadeiras, que sabem impor suas idéias sem a necessidade de agredir ninguém , mas nos fazer respeitáveis e convictos dos nossos pontos de vista, acreditar e defender os nossos ideiais e idéias e cientes de que errar é uma característica humana e faz parte do nosso crescimento.



Quando tivermos essa consciência , sentimentos e fantasmas negativos como a culpa não terão espaço em nossas vidas e ao contrário disto teremos como grande aliada a nossa consciência.
A natureza é o templo da sacerdotisa, bruxa,bruxos e guardiões e neste templo se pratica o grande culto à Deusa, que é representada pela Lua.
Ser Sacerdotisa, bruxa, bruxo..... é encontrar a verdadeira essência que está dentro de nós!

Já me infernizaram, me sugaram e me caluniaram!...
Já me “crucificaram” e me Ri-di-cu-la-ri-za-ram...
E como, “Loucos”... Me julgaram e me condenaram!...
Mas..... Nunca me derrotaram!!!



Posso até estar sendo arrogante agora, mas é a mais pura verdade tudo isso. Meu umbigo não é mais bonito ou perfeito que de ninguém, apenas é diferente.
Será que um dia a civilização nada civilizada aprenderá realmente a viver em sociedade?
Bem mais uma pergunta sem resposta, mas eu no meu mundo já comecei a me transformar, talvez por isso hoje eu esteja mais forte quanto ao que sou e ao que mais desejo: SER APENAS EU! SIMPLESMENTE EU! 



LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...