domingo, 18 de novembro de 2012

A MAGIA DOS DRUIDAS


"QUANDO ESTUDAMOS SOBRE OS DRUÍDAS, TEMOS DE ESQUECER NOSSA RAZÃO E EMBARCAR NUM MUNDO DIFERENTE, MÁGICO, FANTÁSTICO, DE UM POVO INCRÍVEL E MISTERIOSO”.


No início, havia pessoas que viviam para conhecer e ensinar o sagrado. Xamãs, Magos, Feiticeiros, Druidas, Sacerdotisas, Pajés… Não importa como eram chamados em suas sociedades, eles tinham a sagrada missão de contar a história e as lendas de sua tribo, de orientar seu povo e de educar o rei e os jovens guerreiros.

O Druidismo é, por natureza, educativo. Os filósofos do Druidismo ensinam-nos que a luz da inteligência sobressairá e dissolverá a sombra da superstição e ignorância que ainda cega a humanidade nos dias de hoje.

Os Druidas acreditavam na reencarnação, ou renascimento numa vida além da morte no outro mundo. Este outro mundo às vezes acessível, e particularmente perto, em certas alturas do ano (como em Samhain). Eles acreditavam que havia uma grande conexão e continuidade entre a vida e a morte. A morte era vista como uma fase transitória no curso de uma vida longa, mesmo eterna. Não há divisão entre o submundo e o mundo superior

Os Druidas foram considerados magos, feiticeiros, especialmente em decorrência dos conhecimentos que eles tinham de medicina, do uso das plantas medicinais, do controle do clima, etc. Eram capaz de provocar manifestações telúricas e siderais, provocar ou fazer cessar chuvas, isto, é, controlar o ritmo das chuvas, de desviar furacões e ciclones, controlar as marés, atenuar os tremores de terra e as erupções vulcânicas, alem de outros fenômenos climatológicos. Isto eles dominavam bem e procediam em parte com o uso de cristais e em parte pela ação da mente, evidentemente com um poder muito ampliado graças aos rituais procedidos em lugares de força, como Stonehenge e outros círculos de pedra. 


Evidentemente, os Druidas preocupavam-se mais com o lado pratico da vida, com a fertilidade dos campos e com o desenvolvimento espiritual do que propriamente com o desenvolvimento técnico. 

Embora os Celtas e Druidas não fizessem uso intenso da linguagem escrita, especialmente para transmitir seus conhecimentos, mesmo assim eles tinham uma escrita expressa sob a forma de um alfabeto conhecido por alfabeto rúnico. As runas são símbolos gráficos com os quais podem ser gravados sons, palavras, mas o principal uso dos desenhos, as runas, é de natureza mágica. Bem mais que o alfabeto hebraico as runas são símbolos evocativos de poderes e representam para o Druidismo o que o alfabeto hebraico representa para a Cabala.
Os Druidas formavam uma classe social do povo celta, herdeira e guardiã das tradições religiosas. Eram respeitados por seus conhecimentos de astronomia, direito e medicina, por seus dons proféticos, e como com juízes e líderes. Acreditavam na imortalidade da alma, na perfectibilidade indefinida da alma humana, numa série de existências sucessivas. Sua instituição, o Druidismo foi um poderoso fator de unidade do mundo Celta e, por isso, combatida pelos romanos durante as conquistas. 

A filosofia dos Druidas ou as leis das almas (lei das Tríades), reconstituída em sua imponente grandeza, patenteou-se conforme as aspirações das novas escolas espiritualistas. Os Druidas sustentavam a infinidade da vida, as existências progressivas da alma, a pluralidade dos mundos habitados.


Destas doutrinas viris, do sentimento da imortalidade que delas dimana, é que o povo Celta tirava o espírito de liberdade, de igualdade social e heroísmo em presença da morte. Essa luz intensa que inundou a terra das Gálias foi apagada há mais de vinte séculos atrás pela força romana, expulsando os Druidas, abriu praça a padres cristãos. Depois, vieram os Bárbaros e fez-se a noite sobre o pensamento, a noite da Idade Média, longa de dez séculos, tão carregada que parecia impossível que conseguissem virá-la os raios da verdade. Na Idade Média, Joana D'Arc que já vivera, nos tempos idos, como Celta, trousse em si a intuição direta das coisas da alma, que reclama uma revelação pessoal e não aceita a fé imposta; são faculdades de vidente, peculiares a raça Céltica. 

Só pelo uso metódico dessas faculdades se pode explicar o conhecimento aprofundado que os Druidas tinham do mundo invisível e de suas leis. A festa de 2 de Novembro, a comemoração dos mortos, é de fundação gálica. A data 31 de Outubro era considerado como último dia do ano e acreditavam que os mortos vinham visitá-los. Para confundi-los, vestiam-se de fantasias e essa é a origem de Halloween. Os gauleses praticavam a evocação dos mortos nos recintos de pedra. As Druidisas e os Bardos obtinham os oráculos.

Os Druidas eram especialistas em profecias, encantamentos e outras magias. No norte da Escócia seus ritos até hoje são relembrados na véspera do dia de Todos os Santos (01 de Novembro). E nas ilhas Hébridas Conta Plínio, o Velho, historiador romano da Antiguidade, que a magia era muito comum na Gália antiga. Tanto que o imperador Tibério, que reinou no século I da era cristã, baixou um decreto contra os Druidas, juntamente com "todos os demais curandeiros, profetas e feiticeiros".


Os Druidas eram tão conhecidos que aparecem na literatura Céltica e nos comentários de Júlio César sobre a guerra da Gália. Nas lendas irlandesas eles aparecem como bruxos, entendidos em adivinhões por meio do voo e cantos dos pássaros, por sonhos, etc. 

A História e Antropologia mostram que as comunidades, ao longo da história, acreditavam que os Druidas eram receptáculos de enorme poder, causando temor e respeito desmedido de todas as pessoas “comuns”.

Segundo alguns a magia é o ato de moldar a natureza e a realidade de acordo com a sua vontade. Esta definição, que não é nova, é base da Tradição Universal, que até os dias de hoje é transmitida a gerações.

Para os Celtas e Druidas, magia é uma coisa natural e acessível a todos, desde que haja dedicação e disciplina naquilo que se faz.

Sem a sabedoria milenar dos sacerdotes para educar o povo, as pessoas se esqueceram de sua herança ancestral. Surgiram líderes egoístas e irresponsáveis, que não se importavam com a terra e o povo. A terra foi vilipendiada. Monumentos sagrados foram destruídos, florestas devastadas, culturas inteiras foram extintas…

Hoje, a Mãe Terra chama seus filhos. Sacerdotisas da natureza - xamãs, magos, feiticeiros, druidas, pajés - é hora de reacendermos o Fogo Sagrado do amor à terra nos corações de nossas tribos.



19 comentários:

  1. Olá Selma! Fiquei muito feliz com a visita! Seja sempre bem-vinda! Teu blog também está lindo e com ótimo conteúdo! E navegando por aqui, constatei que já sou tua seguidora faz um bom tempinho.... Amanhã tem post novo! Ótimo fim de domingo e abençoado início de semana! Abraço carinhoso!
    Elaine Averbuch Neves
    http://elaine-dedentroprafora.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Querida Elaine, que bom que veio me visitar volte sempre

      bjs

      Selma

      Excluir
  2. Seu texto não poderia ser mais adequado. Creio que estamos a viver justamente um momento de despertar. É tempo de resgatar saberes valiosos que foram esquecidos pela humanidade há séculos, num desastroso desvio do real propósito do homem na Terra: Co-criar.

    Henrique

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom que vc gostou do texto.

      Obrigada

      Selma/Marcos

      Excluir
  3. Gostei muito de suas postagens e do seu blog.
    Voltarei sempre...
    Paz

    ResponderExcluir
  4. Selminha parabens pelo blog e principalmente pelo dia de amanha.
    Que todo o universo esteja em festa para vc

    bjs

    Valquiria

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Minha querida e sempre presente Valquiria.

      Obrigada

      bjs

      amiga

      selma

      Excluir
  5. Parabens amanha será uma data muito mais muito importante.
    Saiba que trabalhar com você é sempre um dia diferente.
    Seja feliz encare tudo como tem que ser.

    Marcelo

    ResponderExcluir
  6. Oiiieeeee,

    Estou muito feliz por você me seguir.Também amei o teu blog. Nossaaa tem muitos textos super interessantes.Voltarei sempre com certeza. Estou te seguindo.
    Abraços e um excelente início de semana.

    ResponderExcluir
  7. Que interessante , adorei saber e ler...sempre um prazer!
    Adoro a história deste povo e meu sonho é um dia conhecer a Inglaterra e passear por esses lugares!
    Te desejo uma ótima semana e paz no coração!
    Beijos
    CamomilaRosa

    ResponderExcluir
  8. Agora sim, são 01:44 da manhã e, eu estou trabalhando rsrs

    Então venho para te desejar um lindo dia de recomeços!!!!.

    Então somos escorpianas com muita alegria, o meu já pasou, rs !!!!!

    Que todo o universo conspire a seu favor para felicidades e prosperidades.

    Espero que goste desse meu presentinho, que foi feito com toda a carga de amor e amizade.
    http://i50.tinypic.com/zxtlq9.gif

    Feliz aniversário!!!!!!!
    Beijinhos de bolo.
    Lua

    ResponderExcluir
  9. Obrigado pela visita. Bacana passar por blogs amigos e ver idéias bacanas divulgadas.

    ResponderExcluir
  10. Uauuuu....adorei o post! Sou apaixonada pelas lendas e cultura Celta! Ah....e já estive em Stonehenge, é incrível a "onda" que lá se sente ;)

    beij♥s

    "Saúde & Beleza - Health & Beauty"




    ResponderExcluir
  11. Olá querida como vai ?
    Que texto lindo , bem como todos do qual vc nos traz , tão primorosamente pesquisa e deixa aqui nesse blog tão repleto de boas energias, adoro passar por aqui pois sempre que o faço levo um pouco mais de conhecimento comigo .
    Agradeço a suas adoraveis visitas em meu blog é sempre bom receber seu carinho , me desculpe pela ausência, mais pequenos probleminhas ja resolvidos ^^
    Que Nyx continue a lhe guiar e proteger hoje e sempre
    Cordialmente Velcan

    ResponderExcluir
  12. achei muito bonita e significativa suas palavras sobre os druidas...parabens

    ResponderExcluir

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...