sexta-feira, 12 de agosto de 2011

INSTRUMENTOS MÁGICOS




Os instrumentos usados nos rituais da Wicca têm a sua origem perdida no tempo. Eles são importantes focos de concentração e ferramentas para provocar alterações de consciência, mas é preciso que se saiba exatamente o seu significado para que sejam usados corretamente. Bruxa jamais deve ficar dependente deles, porque a verdadeira Bruxa se faz com a mente e com o coração!

Os materiais usados por um Bruxo ou uma Bruxa possuem nada mais do que a energia pessoal de seu criador.
Por isso a importância das ferramentas criadas pela(o) própria Bruxa(o).
Estas ferramentas quando usadas em magia direcionam suas energias aos desejos e focam na realização.

Tradicionalmente, os bruxos preferem encontrar ou fabricar seus próprios instrumentos, que sempre consagram antes de utilizar em trabalhos mágicos. A maioria dos iniciados reserva seus instrumentos estritamente para uso ritual; alguns dizem que os instrumentos não são essenciais, mas ajudam a aumentar a concentração.


O altar


Um altar é uma fonte de alegria e uma fonte de paz. Qualquer altar é uma manifestação simbólica de suas intimidades. É uma expressão do seu coração e da sua alma e do seu potencial.

Ele é muito pessoal, por este motivo, não há regras de montagem de um altar, nem mesmo local.

Sempre que possível, uma bruxa deve ter seu Altar, que deverá ser seu ponto de ligação com os Deuses. Tradicionalmente, ele deve ficar ao Norte. Uma vela preta é colocada a Oeste simbolizando a Deusa, e uma vela branca a Leste para o Deus. No Altar deve estar o Cálice e o Athame, o Pentagrama, a Varinha e outros objetos utilizados nos rituais. É comum se colocar símbolos para os Quatro Elementos, como uma pena para o Ar, uma planta para a Terra, uma vela vermelha ou enxofre para o Fogo, e, logicamente, água para esse mesmo elemento. Altar é  um espaço pessoal, onde deve ser colocado amor. Se, por algum motivo, não for possível montar um Altar, pode ser um espaço na sua imaginação, pois o verdadeiro Templo está dentro de você, ou vá para a Natureza e faça dela o mais lindo de todos os santuários. 



Pentáculo

O Pentáculo é normalmente um disco, um prato de metal ou madeira com a figura de Pentagrama dentro de um círculo. Ele é usado para consagrar várias outras ferramentas. É também utilizado como um ponto focal de concentração. É associado ao elemento Terra e seu ponto cardeal. Alguns Bruxos usam um Pentáculo para invocar qualquer elemento da Natureza. Ele é utilizado para consagrar ervas e para carregar magicamente um talismã ou qualquer instrumento que precise de uma dose de energia extra, e é utilizado também para proteção. Representa a ligação do Bruxo com os Deuses.




Chave Mágica

Para fazer uma chave mágica recorra aos materiais que a Natureza oferece, como gravetos, folhas etc. Faça a chave mais bonita que puder. Com ela você será capaz de abrir todas as portas. Pendure-a na entrada do seu quarto; sempre que tiver um desejo profundo, pegue a chave sem sua mão e com sua imaginação abra a porta que esconde seus desejos.


Sino

É de natureza feminina, utilizado para invocar a Deusa. Um símbolo purificador por causa do seu som tranqüilizante, que emite vibrações sutis. Geralmente, é tocado pela sacerdotisa por três vezes, para despertar os membros do Coven em meditação e também para iniciar e finalizar rituais e para invocações.

O sino de cristal ou de latão é freqüentemente usado pelos bruxos para sinalizar o início e fechamento de um ritual ou Sabbat. Os sinos são tocados também em vários ritos funerários wiccanos para abençoar a alma do bruxo que cruzou o reino dos mortos.



Punhal ou Áthame

O Athame é também uma ferramenta de canalização da sua energia. Nota-se que em determinados rituais o Athame quando mergulhado numa taça ou cálice de vinho simboliza a união da Grande Mãe e do Grande Pai (o Deus e a Deusa). Tradicionalmente tem o cabo preto, é de prata e tem dois fios.

O punhal é uma faca ritualística com cabo preto e lâmina de fio duplo, tradicionalmente gravada ou cunhada com vários símbolos mágicos e astrológicos.

Se não tiver o instrumento, substitua-o por algo até que o adquira. Mas não deixe que a sua falta impeça a prática da sua religião. Substitutos para o athame são: uma faca antiga de família, uma faca de prata. O punhal representa o antigo e místico elemento ar, símbolo da força da vida, e é usado pelos bruxos para traçar círculos, exorcizar o mal e as forças negativas, controlar e banir os espíritos elementais, guardar e direcionar a energia durante os rituais. Utiliza-se o punhal com cabo branco (bolline) somente para cortar varetas, colher ervas para magia ou para cura, esculpir a tradicional lanterna de Samhain e gravar runas e outros símbolos mágicos em velas e talismãs. O Atame deve ser consagrado no momento em que a Bruxa é iniciada, e deve ser usado apenas pela própria, e por nenhuma outra pessoa mais.



Bolline

É, simplesmente, uma faca prática de trabalho dos wiccanos, ao contrário da puramente ritualística athame. Em algumas tradições é substituída por uma foice.
É a faca de trabalho do bruxo. Ao contrário do athame, é de cabo branco e sua lâmina é afiada. Usado para cortar cordões, colher e picar ervas, fazer inscrições em velas etc.

Existem alguns modelos de Bolline na forma de uma pequena foice, totalmente de prata, em alusão ao antigo Instrumento dos Druidas para a colheita de ervas que possuía esta forma. Ele é um Instrumento opcional, visto que muitos Bruxos usam o átame para desempenhar a função de colher as ervas e construir talismãs.




Vareta

A vareta (também conhecida como Bastão de Fogo) é um bastão fino de madeira, feito de um galho de árvore. Representa o antigo e místico elemento fogo, é símbolo de força, de vontade, e de poder mágico do bruxo que o possui. A vareta de acordo com vários compêndios de magia, deve ter aproximadamente 50 cm de comprimento. é usada para invocar as salamandras (elementais do fogo) em determinados tipos de rituais, traçar círculos, desenhar símbolos mágicos, direcionar a energia e mexer bebidas no caldeirão. Varetas de freixo são usadas em ritos de cura, as de sabugueiro para consagração e banimentos, as de acácia e aveleira para todos os tipos de magia "branca". As de carvalho servem para magia druídica e solar. Em magias lunares para invocar à Deusa, magia de desejo e ritos de cura usamos varetas de salgueiro e sorveira.



Caldeirão





O caldeirão é o instrumento da Bruxa por excelência. Um antigo recipiente culinário, imbuído em mistério e tradição mágica. O caldeirão é o recipiente no qual ocorrem as transformações mágicas; tem um significado muito especial. É o símbolo máximo da Deusa, é seu útero, sua essência de feminilidade manifestada e sua fertilidade. Está relacionado com o elemento Água e se situa ao centro do Círculo Mágico e do Altar.

É também um símbolo da reencarnação, da imortalidade e da inspiração. As lendas Celtas acerca do caldeirão de Cerridwen tiveram grande impacto na Wicca contemporânea. O caldeirão é geralmente um ponto central dos rituais. Ele é um pequeno pote escuro de ferro fundido que combina simbolicamente as influências dos quatro antigos e místicos elementos e que representa o ventre divino da Deusa Mãe, sendo utilizado pelos bruxos para vários propósitos como ferver poções, queimar incenso e guardar carvão, flores, ervas ou outros elementos mágicos. O caldeirão pode ser usado também como instrumento para divinação - muitos bruxos enchem seu caldeirão com água na noite de Samhain e os utilizam como espelho mágico para olhar o futuro ou o passado.



Cálice


A taça é o símbolo da Deusa, do princípio feminino e de sua energia e relaciona-se ao elemento da Água, outro símbolo da Deusa. É usada nos Rituais e Sabás como recipiente para água ou vinho consagrada, estando ao Leste do Altar e do Círculo Mágico.

A Taça pode ser feita de vários materiais como, prata, bronze, ouro, barro, pedra-sabão, alabastro, cristal. Porém é recomendado que seja de prata

O cálice (também conhecido como taça ou vaso sagrado) representa o elemento água e é usado no altar durante os rituais.



Colher de Pau

Na época da inquisição, os instrumentos mágicos foram substituídos pelos bruxos por objetos comuns de uso doméstico, para não chamar a atenção dos inquisidores. O bastão, por exemplo, foi substituído pela colher de pau. Mesmo depois da Inquisição até hoje, diversos bruxos continuaram a usá-la para mexer no caldeirão que queima ervas e pedidos ou que prepara poções mágicas. Quando cozinhar alimentos como bolos, pães e tortas para o Bolos e Vinhos, procure fazê-los com uma colher de pau consagrada e apenas utilizada para essa finalidade.



Espelho Mágico

Muitos bruxos e magos o usam para divinação e para entrar em contato com outras realidades. O processo é parecido com aquele conhecido do filmes "Disney", em que a "bruxa má" (sic!) olha o espelho fixamente, vê uma névoa nele e da névoa vê o que quer, passado, presente ou futuro. Usamos espelhos para feitiços, meditações, exercícios mágickos etc. Toda bruxa deve ter o seu espelho. Tradicionalmente deverá nunca ter sido usado para outros fins, ser consagrado para trabalhar em nome da Arte e possuir o tamanho da palma da mão da bruxa. Temos também, o espelho Negro que jamais poderá entrar em contato com a luz do dia. espelhos geralmente devem ser guardados envoltos em seda negro.


Espada Cerimonial

A espada, como o athame, desempenha o corte simbólico ou psíquico, especialmente quando é utilizada para desenhar um círculo mágico, isolando o espaço dentro dele.

Além de traçar círculos, exorciza o mal e as forças negativas. Também é tradicional que no cabo tenha símbolos mágicos. A espada cerimonial representa o elemento fogo e é o símbolo da força do bruxo. Em certas tradições wiccanas, a espada cerimonial é usada no lugar do punhal de cabo preto pela Alta Sacerdotisa do coven, para traçar ou apagar um círculo. A espada, como o punhal, pode também ser usada para controlar e banir energias ruins e para guardar e direcionar a energia boa durante os rituais.


Vassoura

A imagem tão familiar hoje em dia de uma bruxa atravessando os céus noturnos montada em uma vassoura fez sua primeira aparição pública no século XV, no manuscrito Lê Champion des Dames (O Campeão das Damas) do escritor suíço Martin Le Franc. Porém, as conotações mágicas das vassouras são muito mais antigas do que as descritas por Martin Le Franc.

Há muito as vassouras têm sido associadas à magia feminina e a mulheres poderosas. Diga-se de passagem, transformaram-se no equivalente feminino do cajado usado por Moisés para abrir o mar vermelho.

As Sagradas Parteiras da Roma Antiga varriam as soleiras das casas das mulheres grávidas, acreditando que assim espantariam os maus espíritos, protegendo as mães e os seus bebês.

Desde essa época, as vassouras tinham seu poder simbólico para questões mundanas e grandiosas. Em algumas regiões da Inglaterra, até bem recentemente, as mulheres deixavam suas vassouras do lado de fora ao ausentar-se de casa.

No País de Gales e entre os ciganos, a tradição determinava que, para selar os casamentos, os noivos deviam pular uma vassoura colocada na entrada da nova casa (Na Wicca, a vassoura faz parte da cerimônia de casamento, chamada Pacto).

Símbolo do lar, da Deusa e do Deus, a vassoura é um dos instrumentos favoritos dos iniciados usados para a limpeza psíquica do espaço do ritual antes, durante e após os trabalhos mágicos.

Como símbolo de um passado pagão, a vassoura despertou hostilidade entre os cristãos caçadores de bruxas. Mas, contrariando a crença popular, poucas das confissões forjadas durante os julgamentos às bruxas mencionavam vassouras.

Não, as bruxas não voam em vassouras!!! =) A vassoura é um símbolo da união do masculino (o cabo) com o feminino (os pêlos). Com ela, se varre – sem tocar o solo - o ambiente em que o ritual se dará, para limpá-lo de energias perniciosas. A vassoura, colocado de cabeça para baixo atrás da porta de entrada de casa, protege-a contra feitiços e pessoas mal intencionadas. Colocada na borda do círculo mágicko, ela serve como um portal entre o círculo e o exterior. Assim, se for preciso sair do círculo em algum momento do ritual, basta saltá-la. A alusão ao vôo das bruxas é verdadeira, mas não em uma vassoura. Entretanto, o "Vôo das Bruxas" trata-se de uma viagem astral provocada pelo uso de um determinado ungüento. Essa poção é conhecida como "Ungüento do Vôo das Bruxas" (que muita gente prefere não usar, pois é alucinógeno). Tradicionalmente, é melhor que o próprio bruxo faça a sua vassoura ritualisticamente, através de galhos encontrados na natureza, onde se pode colocar símbolos rúnicos e mágicos e sisal.

A vassoura é símbolo do magistério feminino e das forças purificadoras da natureza. Até hoje é costume "limpar" as energias negativas de uma casa varrendo-as para fora com uma vassoura desenhada com símbolos mágicos (pentagrama, círculo, taça, espada).

Ainda hoje, a vassoura é muito usada na Arte. Um Wiccaniano deve começar o ritual “varrendo” o local com a Vassoura Mágica. Depois disso, o Altar é construído, as ferramentas são carregadas e o ritual está pronto para começar. Não é necessário que a vassoura toque o chão. Faça apenas os movimentos, visualizando que você está tirando todas as forças negativas que estão naquele local. Ela purifica a área usada para os rituais. 



Buril

O buril é um ferro de gravar usado por muitos bruxos e magos para marcar ritualisticamente nomes sagrados, números, runas e vários símbolos mágicos e astrológicos em seus punhais, espadas, sinos de latão do altar, joalheria metálica e outras ferramentas da magia.



A VARINHA MÁGICA



A varinha é um Instrumento de Invocação. É usado para dirigir a energia, desenhar Símbolos Mágicos ou o Círculo, mexer coisas no Caldeirão, ou até mesmo para invocar um Deus ou uma Deusa. É o Instrumento do Elemento Fogo. A Varinha normalmente é feita de madeira, e há algumas madeiras tradicionais usadas na “fabricação” de uma varinha: Salgueiro, Sabugueiro, Carvalho, Macieira, Pessegueiro, Aveleira, etc…

Quando um Wiccaniano corta um galho de uma árvore, ele agradece à Natureza e pede permissão para a mesma, para retirar o galho. Alguns Wiccanianos cortam o galho na junção da árvore até sua extremidade, mas não é necessário. Qualquer galho forte e reto, serve para se fazer uma varinha. Algumas lojas vendem a varinha já pronta, como pode ser vistas em sites de venda de Instrumentos de Wicca. Alguns livros dizem não haver problemas com uso de uma varinha já pronta, fabricada por outra pessoa. Essas varinhas prontas vendidas em alguns sites são muito bonitas, bem fabricadas e com ótimo acabamento. Não é necessário que você use sempre a mesma varinha pelo resto de sua vida, portanto use uma que você se sinta confortável e só mude de varinha quando você achar que é necessário.

 
INCENSÓRIO

Usado para queimar o incenso que purifica o ambiente mágico, é um importante e comum instrumento. É relacionado ao elemento ar. Alguns o relacionam ao ar e ao fogo, simultaneamente. Ao ar por causa da fumaça e ao fogo por causa da brasa.

Se você não está acessível a nenhum lugar para comprar um incensório, você pode fazer um utilizando-se por exemplo, de uma taça ou copo, uma tigela ou uma concha funda com areia e sal. A areia e o sal absorvem o calor, e evita que possa quebrar-se ou rachar-se.

Os incensos são muito usados em rituais. Quando não se fala na necessidade de utilizar um determinado tipo de incenso, use sua intuição para usar o incenso certo. Nas cerimônias de Magia, o Deus e a Deusa podem ser vistos entre a fumaça feita pelos incensos. Essa fumaça pode ser aspirada, nos deixando relaxados e algumas vezes até em estado de consciência diferente. Quando esses rituais são feitos em lugares fechados, um incensório passa a ser de muita importância, assim como o incenso, porém, em lugares abertos, o incensório pode ser substituído por qualquer outro tipo de chama, já que se pode colocar o incenso diretamente nela. Alguns Wiccanianos ligaram o incenso ao Elemento Ar, e são colocados frente às estátuas ou imagens da Deusa e do Deus.



AS BOLAS DE CRISTAL

As Bolas de Cristal de Quartzo são um símbolo importante na Magia. Hoje em dia, as Bolas de Cristal ficaram populares, e não é tão difícil de se encontrar, porém preste bastante atenção se você for comprá-la, não deixe que o engane com um Bola de Vidro, que são muito parecidas com as de cristal e bem mais baratas. Pode-se identificar uma Bola de Cristal verdadeira, pelo seu preço, seu peso, temperatura. Essas bolas são usadas nas adivinhações, e um meio de se ver as imagens que nossa mente produz. Em ritual Wiccaniano, a Bola de Cristal, é usada para representar a Deusa, já que na sua forma (esférica) é um símbolo da Deusa, assim como todas as rodas e círculos, e sua temperatura baixa, simboliza a profundeza do Oceano, um domínio da Deusa.

Os Cristais devem ser usados para guardar energia e para receberem mensagens do Deus. Se você tem uma Bola de Cristal, guarde-a com cuidado, além dela ser muito cara, é uma ótima forma de aumentar a energia de um local, e é também muito usada em rituais de Lua Cheia.




O PENTAGRAMA

O pentagrama consiste, normalmente, em uma peça plana de latão, ouro, prata, madeira, cera ou cerâmica, com alguns símbolos inscritos. O mais comum, e sem dúvida o único necessário, é o próprio pentagrama, a estrela de cinco pontas que vem sendo usado em magia há milênios.

Trata-se de um dos símbolos pagãos mais utilizados na magia cerimonial pois representa os quatro elementos (água, terra, fogo e ar) coordenados pelo espírito, sendo considerado um talismã muito eficiente.

Nesta antiga arte, era geralmente usado como um instrumento de proteção, ou uma ferramenta para evocar espíritos. Cada ponta representa um elemento da natureza: ar, água, fogo, terra e a quinta ponta representa o espírito acima de todos os elementos, porém, quando usado invertido, significa "todos os elementos acima do espírito", é tido como o símbolo do deus egipcío baphomet nos dias atuais.

Pentagrama na astronomia

Baseados na antiga astronomia ptolomaica, que tentava manter a orbita dos outros planetas ao redor da Terra, astrônomos do passado criaram órbitas excêntricas para os planetas e isso fez com que a órbita de Venus desenhasse um pentagrama no espaço. Originalmente, o pentagrama não simboliza de jeito nenhum algum tipo de malefício. Ele é um símbolo muito poderoso e têm a ver com as forças ocultas.

O Pentagrama pode ser feito de qualquer material, e até desenhado em pedaços de pano, ou mesmo no chão. Cada ponta representa um Elemento da Natureza, Ar, Fogo, Água e Terra, e a quinta ponta representa o Espírito. Quando é usado em sua forma normal, mostra que o espírito está acima de todos os Elementos, porém, quando está invertido, significa todos os Elementos acima do Espírito, fazendo a forma de um bode. Na Wicca, o Pentagrama é o Instrumento do Elemento Terra e está ligado à Segurança e Proteção. É utilizado para consagrar Instrumentos, Objetos e Amuletos. Muitos Wiccanianos usam o Pentagrama como Amuleto tanto de Proteção, como também de respeito ao Espírito e aos Elementos da Natureza.

Com a ponta para cima, a do elemento espiritual, é um símbolo da Deusa e representa o espírito sobre a matéria. Com a ponta para baixo, é um símbolo do Deus Cornífero (note que as duas pontas para cima lembram os seus chifres) e representa a matéria sobre o espírito. O pentagrama é um símbolo da proteção e da sabedoria. No altar, costuma-se colocá-lo ao norte, simbolizando a terra. Esse instrumento serve para recarregar os outros instrumentos. Quando sentir que, por exemplo, o seu athame está ficando descarregado de energia, deixe-o sobre o pentagrama por algumas horas. Isso irá recarregá-lo. O pentagrama também é o símbolo de reconhecimento do praticante da Wicca. Muitos wiccans o usam na intenção de se fazer reconhecer por outros praticantes da sua religião. É comum que um wiccan use o pentagrama em um colar. 





O Livro das Sombras

Tradicionalmente, é comum o bruxo desenhar com tinta branca ou prata um pentagrama, ou ainda, comprar um pequeno pentagrama de prata ou estanho e colar em sua capa. Nele se anotam as suas experiências pessoais na Arte, encantamentos, rituais, receitas, invocações, poemas etc. O Livro das Sombras é algo muito pessoal e não deve ser mostrado para qualquer pessoa sem um motivo. Pode-se ter um livro de sombras com os textos, exercícios, feitiços, meditações e material especifico de uma tradição, e um outro livro que trata-se do Livro espelho, uma espécie de diário do bruxo, aonde anota-se experiências, progressos na bruxaria. Neste livro Espelho, o bruxo escreve seus próprios rituais e feitiços e relata eventos dos quais participa solitariamente ou em grupo. Tradicionalmente, quando o bruxo vem a falecer, é comum entre os membros do Coven queimar o livro de sombras ou entregá-lo a um parente que pretenda seguir ou já siga o caminho da Arte, trilhado pelo seu ancestral.

É fácil de achar, já que não existem regras para o Livro das Sombras. Qualquer caderno ou agenda com páginas internas brancas deve servir.

No dia-a-dia a(o) Bruxa(o) deve escrever no seu Book, rituais, spells, invocações, ou qualquer coisa que tenha criado com a ajuda da magia. Isso vai ajudá-la(o) para que se consiga ver seu desenvolvimento, assim como guarda muito de cada pessoa. Tudo o que você achar importante deve ser registrado no Book, como uma forma de se guardar seus próprios conhecimentos e descobertas. Algumas Bruxas(os) modernas(os) já se utilizaram do computador como seu Book, é o Disco Rígido das Sombras, mas eu não aconselho, por vários motivos, o primeiro que outras pessoas poderão ler o que você escreveu, outra e a mais importante, é que se você perder os arquivos dificilmente serão recuperados.

Em algumas Tradições Wiccanas (por exemplo a Gardneriana), o Livro das Sombras é um texto contendo os rituais, práticas e a sabedoria daquela Tradição. É normalmente copiado à mão pelo praticante, a partir da cópia de seu(sua) iniciador(a). O material da Tradição não pode ser mudado, apesar de que algumas adições possam ser feitas. Alguns Wiccanos mantêm ainda um Livro das Sombras pessoal, além daquele de sua Tradição.


TÚNICA


Ela cria uma atmosfera toda especial no ritual. Costuma ser preta, pois é uma cor que absorve toda as energias, dando mais força a bruxa. É também uma cor que protege (e não ligada necessariamente ao mal). É possível se usar túnicas de outras cores também. Pode-se variar de cor de acordo com o objetivo do ritual, ou de acordo com um sabá específico.

Exemplificaremos, sugestões de cores para serem usadas em alguns sabás.

Samhain: túnicas pretas, preto com laranja;

Yule: túnicas vermelhas, roupas que contenham cores verdes e douradas;
Ostara: túnicas azuis;
Beltane: túnicas verdes ou roupas leves que contenham a cor verde e branco.

Em rituais, como o funeral, em vez de se vestirem de preto, os bruxos costumam usar vestimentas branca.

Muitos preferem fazer os rituais "vestidos de céu", isto é, nus. A nudez não é vista na Wicca como uma forma de sacanagem (ainda que não deixe de ser algo erótico, é claro). Nessa religião, a nudez é um símbolo de liberdade. Apresentar-se ao Deuses e aos seus companheiros mágicos em ritual totalmente nu, mostra que você se apresenta como realmente é, sem máscaras, sem falsidade. E representa a sua entrega sem medo ou culpa. Costuma-se dizer entre os pagãos que o corpo é a vestimenta da alma.

As pessoas que não fazem os rituais vestidas de céu, muitas vezes escolhem assim por sentirem vergonha. A vergonha da nudez nos foi incutida desde o nascimento por uma cultura judaico-cristã que a condena. É tarefa do wiccan se livrar desse tipo de influência e adotar novos valores, pois é isso o que significa aderir a uma nova religião. Mas isso não é uma obrigatoriedade, cada um deve trabalhar magickamente como se sentir mais a vontade. Se a bruxa ou o bruxo se incomoda demais em ser visto "vestido de céu", deverá usar uma vestimenta ritual sem maiores preocupações. Estar encanado com o fato de estar nu para os outros, prejudicaria a sua conexão e sua desenvoltura dentro de um ritual. Portanto, se você se sentir melhor trabalhando com túnicas, faça conforme a sua vontade. 




VELA

Simboliza elemento fogo. A vela é o símbolo de seu pedido, pois quando ela vai se queimando leva o seu pedido para misturar ao elemento éter.

Basicamente, se usam velas para três fins:

Para representar a Deusa e o Deus. Uma vela preta à esquerda para a Deusa e uma branca para o Deus, além de uma vermelha entre elas, representando a união de ambos. O preto é o resultado da absorção de todas as cores. É uma cor receptiva. A Deusa, sendo feminina, possui justamente essa característica. O branco é o resultado da reflexão de todas as cores. Portanto, uma cor emissora. Que é uma característica do Deus Cornífero, pelo seu caráter masculino. O vermelho é a cor do sexo. Não à toa é a ele que representa a união da Deusa com o Deus. Há também quem considere a vela branca como representando o aspecto de Donzela da Deusa, a vermelha como o aspecto de Mãe e a preta como de Anciã. Geralmente, dispomos essas velas na forma de um triângulo no altar.

Para representar os quatro quadrantes. Cada quadrante é relacionado a um elemento. Para rituais em grupo, pode-se representar os quatro quadrantes através de quatro altares diferentes, providenciados pelos Senhores(as) dos quadrantes específicos. Cada elemento é relacionado a uma cor. A correlação mais comum é a seguinte:

Norte à Terra à Verde (ou marrom)

Leste à Ar à Amarelo

Sul à Fogo à Vermelho

Oeste à Água à Azul claro

Para representar os nosso desejos em feitiços. Esse uso não é difícil de ser compreendido. Quando alguém, de qualquer religião que seja, ora ao seu Poder Maior diante de uma vela acesa, pedindo por algo, ele termina a sua oração antes da vela acabar de queimar. Mas a deixa queimando até o fim depois disso. A vela que queima representa a continuação do desejo da pessoa. Enquanto ela queima, o seu desejo sobe ao País das Fadas, para então ser realizado. Por isso, nunca se apaga uma vela de um feitiço. Apagá-la significaria interromper o desejo e faz com que todo o trabalho tenha sido em vão.

Observação: as velas dos Deuses e dos quadrantes podem ser apagadas ao final do ritual, mas nunca com um sopro. O ato de soprar poderá ofender os Deuses, ou os elementos. Apague-as com o dedo, com o athame ou um apagador de velas.

Simboliza o Elemento Fogo. A Vela é o símbolo do seu pedido, enquanto ela queima, leva o seu pedido para se misturar ao divino. 



O Bastão

O bastão é um dos instrumentos mais importantes. Tem sido utilizado há milhares de anos em ritos mágicos e religiosos. É um instrumento de invocação. A Deusa e o Deus podem ser chamados para assistirem ao ritual por meio de palavras e de um bastão erguido.

Também é por vezes utilizado para direcionar energia, para desenhar símbolos mágicos ou um círculo no solo, para indicar a direção de perigo quando perfeitamente equilibrado na palma da mão ou no braço de um Bruxo, ou mesmo para mexer um preparado em um caldeirão.

O bastão representa o elemento do Ar para alguns Wiccanos, e é sagrado para os Deuses. Há madeiras tradicionais para a confecção de um bastão, dentre elas o salgueiro, o sabugueiro, o carvalho, a macieira, o pessegueiro, a avelã e a cerejeira. Alguns Wiccanos a cortam com o comprimento da ponta de seu cotovelo até a extremidade de seu indicador, mas isto não é necessário. Qualquer peça relativamente reta de madeira pode ser utilizada.

Há diversos tipos de bastões que podem ser usados pelo bruxo. Há aqueles sofisticados, de metal (como o bronze) com um cristal da ponta, incrustados com pedras e símbolos mágicos, assim como há bastões de madeira - trabalhados ou não - a até simples pedaços fortes de raízes. É um instrumento usado para invocar os Deuses, direcionar energias e desenhar símbolos no chão. Muitos também mexem no caldeirão fumegante com ele. Alternativamente, ele pode ser usado para se traçar o círculo, no lugar do athame. É um instrumento correlacionado ao elemento fogo. Na tradição alexandrina, ele é correlacionado ao elemento ar. Costuma ser feito a partir galhos de aveleira, carvalho ou macieira. Mas, no fundo, serve qualquer árvore que o bruxo goste. Antes de se cortar o galho deve-se sempre pedir autorização à árvore. Se você sentir que ela consente, pode cortá-lo! Entretanto, evite fazê-lo e procure colher algum galho que tenha caído sobre o solo. O seu tamanho deve ser o mesmo da distância do cotovelo do praticante até a ponta do seu dedo médio. Bastões de determinados tipos de árvores atendem a determinadas finalidades mágickas.

Algumas árvores onde poderemos produzir bastões específicos para diferentes finalidades.

Freixo: para traçar círculos mágickos, manter serpentes afastadas, cura de doenças, magia com animais domésticos;

Bambu: ligada a Lua, magia lunar;

Loureiro: usada para magia de cura, divinação e sonhos mágicos.




Prato de Sal

Simboliza o elemento terra e é usado para purificar.



O Tambor


Mais usado no Xamanismo (e nas religiões afro-brasileiras), há bruxos que também o usam. Sua batida altera a consciência do praticante, podendo ajudá-lo a entrar em transe. O ritmo do tambor une o grupo, deixando-o vibrante e descontraído. Se a pessoa não souber tocar o instrumento, pode simplesmente batucar conforme a sua intuição mandar. Mas, se houver desejo, pode-se aprender a tocá-lo e testar vários ritmos diferentes em rituais, a fim de reconhecer quais funcionam melhor com que tipo de ritual. Tradicionalmente é feito com cabaça e pele, poderá ser pintado nessa pele a representação da Deusa (Gaia) e outros símbolos mágicos. 



Colar

"Símbolo do renascimento, o sinal da Deusa"  Pode ser qualquer colar que você goste de usar. Tradicionalmente, costumamos usar em um ritual um Torc de aço ou de prata. O Torc (tipo de bracelete com duas bolas em cada extremidade) era amplamente utilizado entre as culturas celtas para sinalizar a qual Clã pertencia o adepto em questão. Mas colares de bolotas de carvalho, de pedras preciosas usadas com alguma finalidade mágica específica, com pingentes como pentagramas, face de Brigid, cruz celta, entrelaçados celtas, luas, estrelas, enfim, uma variedade de símbolos pagãos podem ser usados e enriquecem o ritual e imbui o bruxo com um poder especifico. Em rituais de compromisso pagão, o handfasting, os noivos costumam representar sua união através de um Torc.




Anéis

De forma circular, costumam produzir o mesmo efeito mágico de eternidade, sem começo e nem fim do Colar. Muitos bruxos possuem o seu anel mágico, geralmente no dedo indicador em sua mão de poder.




Cordão

"Símbolo da união, de pertencer a um determinado coven. Em algumas tradições, a cor do cordão significa o grau de desenvolvimento na Arte de seu portador."




Ervas e óleos

Muito comum se untar velas com os óleos apropriados, preparados pelo bruxo e com fins mágicos específicos. Há receitas de óleo para aumentar o poder do bruxo, que servem para praticamente tudo. É uma receita geral. Com ele, o bruxo unta a si mesmo. Normalmente o esfrega nas mãos e no terceiro olho. Óleos podem ser usados para curar, seduzir, estimular. De preferência, procure fazer o seu próprio óleo, misturando óleos essenciais, ou o simples azeite de oliva, ou ainda óleo mineral com ervas e flores. Ervas costumam ser usadas para amuletos, para serem queimadas no caldeirão e uma vasta gama de fins como chás, xaropes naturais, como ingredientes em comidas com finalidades mágicas diferenciadas, etc. Mais sobre óleos, ervas, incensos etc veja na nossa seção específica sobre o assunto.


 Nós somos a maior e melhor ferramenta criada pela Deusa e pelo Deus.
Nossos corpos e mentes são capazes de fazer a melhor de todas as magias sem a utilização de um único instrumento mágico. São nossas intenções e energias que conduzem qualquer tipo de trabalho mágico. Existem inúmeros Bruxos (as) que optam por não usar nenhum aparato ritualístico, utilizando sua própria energia como fonte de poder. É necessário salientar que nossos corpos são constituídos pelos quatro elementos da natureza:
Terra: nosso próprio corpo.
Ar: nosso sopro e respiração.
Fogo: a temperatura do nosso corpo.
Água: nossa saliva e nosso sangue.



7 comentários:

  1. AMEI ESTE BLOG....muito compñeto

    ResponderExcluir
  2. onde posso encontrar esses objetos?por favor me ajudem em especial esse anel ?

    ResponderExcluir
  3. Como eu poço saber se eu souum bruxo de sangue?

    ResponderExcluir
  4. Como eu poço saber se eu sou um bruxo de sangue?

    ResponderExcluir

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...